segunda-feira, 24 de agosto de 2009

E O QUE JÁ ERA FEIO...

Existem vários ditados populares para descreverem nossos próprios infortúnios e os infortúnios alheios:
- Urubu quando está de azar o de baixo “caga” no de cima;
- Não há nada tão ruim, que não possa piorar;
- Uma desgraça nunca vem só;
E daí por diante...
Como disse, fomos eu, minhas dores e meu marido ao Rio de Janeiro em busca de um dos melhores especialistas em doenças da medula do Brasil.
Fomos muito bem recebidos, ele quis ouvir-me (viva! Um médico que ouve o paciente!), olhou os exames que eu havia levado (uns cinco quilos, todos os que fiz desde fevereiro), examinou-me quase virando-me ao avesso e daí... o primeiro veredito:
- Dona Kátia, tenho 90% de crença que seu diagnóstico está equivocado!
Quase caí da cadeira! E tudo que passei? E as agonias com o medo das seqüelas? E a possibilidade de desencarne? Tudo isso tinha sido em vão?
O susto foi tão grande que só consegui murmurar:
- O que o senhor acredita que seja?
O homem disparou a falar uma lista de doenças cujos nomes, alguns até em francês, eu nunca havia ouvido. Não consegui decorar nenhum, mas há males que vêm para o bem, assim não fico pesquisando o que é campo de possibilidade.
Durante a consulta ele telefonou para uma médica daqui de Vitória (que por sinal é minha amiga) e orientou-a para fazer aquele exame maravilhoso: eletroneuromiografia! Ai Jesus! Não desejo nem a inimigo (se os tivesse).
Pediu mais um monte de exames, trocou toda a minha medicação, mandou-me de volta com a ressalva para retornar com os exames prontos.
Resumo da ópera: Eis-me aqui, cheia de dor (já que não posso tomar nenhum analgésico porque é preciso chegar a uma dose precisa do novo medicamento) novamente inválida, sem saber o que tenho, cheia de exames para fazer e reiniciando a maratona.
É mesmo como diz o ditado:
Não há nada ruim que não possa piorar!

11 comentários:

Jacinta Dantas disse...

É Kátia,
nem sei o que dizer. Melhor então é não dizer nada e continuar torcendo para que em você restabeleça a saúde.
Um abraço

Kika disse...

Ai menina...isto que é dose...mudanças de diagnósticos sem solução..mas calma..logo vc descobre um jeitinho de alivar sua dor..e volta a rir coma gente...

VANUZA PANTALEÃO disse...

Minha menina,
Posso falar com sinceridade?
Bem, só vou te dar um exemplinho meu: quando a labirintite me atacou feio, mas feio mesmo, nenhum remédio fazia efeito e o melhor especilista (prof. de faculdade) da área (um deles, porque procurei um monte) só falou que era EMOCIONAL. Passei a odiar o homem com todas as forças da minh'alma, rsss. Mas não é que era mesmo? Hoje, tô curadinha, fiz tudo certinho, nem chazinho de erva-doce ele me deixou tomar, o miserável...
Escute bem o que lhe digo: depois de todos os exames, remédios, dietas e, talvez, pajelanças tenho CERTEZA que você vai me dar razão.
Kátia, médico bom não manda fazer nada em paciente que não tem cura.
Taí, estou mais esperançosa que você!
E...tomou aquela água de coco? Foi à praia? Viu O Cristo Redentor?
Aposto que não!
NEGATIVISMO, NUNCA! ESTAMOS ENTENDIDAS?
Ti amuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu

VANUZA PANTALEÃO disse...

Recomece, recomece sempre. Afinal, a vida não é um eterno recomeço?
Vai passar, como na musica do Chico.
Beijinhos!!!

Lu Barcelos disse...

Vc esqueceu do ditado que diz que não há mal que dure para sempre!!!!

E esse eu aprendi contigo!
Força e muita paciência, minha querida!

bjoooooo

Poeta Mauro Rocha disse...

Ola!!Desculpa não aparecer tanto mas estou estudando e realmente sem tempo.Mas esse texto me deu um tempo para refletir..Belo...

Um abraço!!

beto melodia disse...

oi, kátia...

se uma coisa posso dizer é que não há mal que para sempre dure...
logo estará tudo bem, você vai ver...

um belo blog e ótimas postagens...

beijos em seu coração...

Gabi disse...

Você sabia?

=*

Sérgio disse...

Como você sabe, a dor é sempre passageira (e, se pensar bem, sempre ilusória, pois pertence apenas à matéria!) Mas como da ilusão é muito difícil de nos desligarmos, lembre-se de buscar sempre aquele outro lugar (dentro de você), onde a Luz a protege, aninha e conforta, trazendo Paz e bem-estar...
bjs

Lugirão disse...

Pior do que está doente é não saber o que se tem de fato!

Espero que você melhore logo, tente relaxar pois dor não combina com stress, nervoso e afins.

Bjos

Ilaine disse...

Katia, querida!

Imagino o que passas com esta incerteza. Mas não desanime, continue forte. A gente está aqui torcendo por você. Te amamos!

Beijo