quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Indagações... só isso

Guadalajara - Arcos

Houve um tempo em que eu sabia para onde ia... sabia a meta

Embora não conhecesse a estrada, mirava o destino

Tinha a vida nas mãos

E as decisões eram minhas.

Aos poucos fui fazendo as coisas por instinto

Porque a vida não vem com instruções.

Achando que estava certa, eduquei filhos

Mas como não tinha manual de orientação

Hoje me pergunto: Fiz a coisa certa?

Não sei.

Segui carreira, galguei cargos,

Trabalhei anos a fio.

Hoje me pergunto: Algum dia fiz o que realmente amava?

Não sei responder,

Por isso agora essa angústia,

Indagações sem fim,

Fiz alguma coisa certa?

Quantos erros cometi?

Onde falhei?

Não encontro respostas.

Não sei nem o que a vida fez comigo.

Procuro dentro de mim

Um lugarzinho que seja

Onde exista ainda paz,

Onde não esteja contaminado

Por intrigas, agressões, desamor

Mas quando olho ao redor

Apesar de tudo que construí

Encontro-me sozinha.

Alguém pode me responder

Onde foi parar a vida que julgava minha?


Kátia Corrêa De Carli (inédito)

1 comentários:

VANUZA PANTALEÃO disse...

Comigo foi a mesma coisa, Katinha!
Um dia, um pajé chamou seu discípulo e disse-lhe:
-Sabe o segredo que vais aprender na iniciação?
O indiozinho ficou apreensivo, esperava uma resposta metafíca, estranha, bombástica.
O pajé apenas disse:
-Nenhuma.
Que maneira chata que eu tenho de confortar meus amigos, né?Rsrsrs.
Não ligue!
Nem eu mesma me suporto!!!
Te adoro!!!