quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

A VIDA PASSA...


Antiga Estação Pedro Nolasco -
hoje Museu da Vale


A VIDA PASSA NAS JANELAS DOS TRENS...

Pode parecer desinteresse, menosprezo às artes ou, quem sabe, falta de paciência mesmo. Mas eu não era assim!

Sempre fui arroz de festa, principalmente se tivesse “arte” envolvida.

Levei meus filhos para assistirem a encenações de peças infantis na Concha Acústica do Parque Moscoso, no Teatro Carlos Gomes, no Glória. Não perdiam um lançamento de filme infantil. Participavam de todas as apresentações na escola e na creche, desde que se dispusessem.

Foram crescendo, os hábitos mudando, mas continuamos respirando cultura através de exposições, teatros, museus, livros, mostras, shows.

De um tempo para cá fui minguando...

Não encontro palavra melhor: eu MINGUEI!

Daí, perdi o trem. Fiquei parada na estação da minha casa.

Mas o trem não vinha me buscar.

Hoje, a convite da Joana, fui conhecer o Museu da Vale (que já existe há um bom tempo e que ainda não conhecia).

Fomos eu, ela, a Gabi e a Luciana.

Prédio principal - Janelas centrais

Quando cheguei ao pátio, foi como se uma grande janela se abrisse na minha memória. Vi-me criança, atravessando a Baía de Vitória até o cais de Paul, de catraia, balançando, o medo do mar, o cheiro do medo e do mar.

Vi-me naquela estação deslumbrante, enorme, cujos trens nos levavam para longe, “Muito longe” dizia minha tia (mas era só até Santa Maria e Santa Leopoldina).

Catraia e Cais

Visitamos as instalações que por si só já valem o passeio, passeamos pela exposição permanente, conhecemos a maquete projetada para representar uma ferrovia específica, sendo a maior do Brasil, com 34 m² de área construída.

Visitamos a Exposição Temporária: Atrás do porto tem uma cidade, do mineiro Eder Santos, muito bonita por sinal.

Sentei-me no Café do Museu, muito bem acompanhada de minhas agregadas e mais alguns funcionários do museu, gente de primeira linha.

Quanta coisa ganhei nesse passeio.

Ganhei minhas memórias de volta!

Mas melhor que as memórias recuperadas foi sentar-me à janela de uma velha locomotiva e ver a cidade.

A cidade passava pelos meus olhos (o fato da locomotiva estar parada era mero detalhe)... e eu pude ver na sua grandiosa majestade a “Cidade Presépio” que me abriga.

Atrás do porto não tem só uma cidade... tem uma vida inteira de história.

Obrigada à Joana pelo convite!

Porto e Vitória, pela porta


Um olhar na neblina

Para mim: Janelas...

SERVIÇO:

MUSEU DA VALE - http://www.museuvale.com/
EDER SANTOS - Site oficial
Exposição:
Atrás do porto tem uma cidade = 22 de outubro a 20 de fevereiro -
Terças a quintas, sábados e domingos: 10h às 18h - Sextas: 12h às 20 h

6 comentários:

Jacinta Dantas disse...

Que lindo Kátia,
que lindo o seu olhar sobre a vida...sobre você.
Apesar do tom um tanto melancólico que senti, vejo vida no seu olhar por aqui, passeando e admirando a beleza que tem a sua frente.
Então, repito: que lindo!

bjs e que em 2011 haja muitos passeios como esse na sua vida.

Gabi De Carli disse...

Lindo, mãe... ficou faltando ver o por do sol... topa voltar um dia? =)

K. disse...

Querida Kátia,

Amei seu passeio, suas palavras e sobretudo suas imagens...Incrível como vc está "falando diferente" através de seu olhar. Consegue me entender? Sempre vejo suas fotos, mas estas...estas estão mais sensíveis, mais a "flor da pele", mais emoção.
Será que apenas eu te enxergo diferente agora? Será que alcançamos um outro nível de comunicação? rs...
Só sei que vi algo a mais em seu olhar.
Saudades.
Bj

Gabi De Carli disse...

K.
Não sei se você enxerga diferente, mas sei que vocês se entendem bastante. Você já faz parte dessa história e agora espero você vir aqui um dia... quem sabe não levo vocês nesse Museu? =)
Beijos!
(mãe, é pra ela, será que vai ler? rs)

Vanuza Pantaleão disse...

Katinha, minha amada!
Queria ter vindo antes, mas tive um final de ano agitado, daqueles. Mas, tudo bem! Cá estamos na estação a esperar o próximo trem. Juntinhas, sempre revisitando o passado com um olhar diverso.
Amei demais - e como sempre - seu post e essas fotos preciosas.
Deus contimue a lhe abençoar, amiga! Em 2011...em 2012...SEMPRE!
Te adoro demais!!!

K. disse...

Gabi, Gabizinha, "ela" leu sim, rs. Passo sempre aqui. Algumas vzs demoro, outras venho rapidinho só pra ver se tem algo novo. Mas desta vez algo me puxava, rs.
Fazer parte da história de vcs deixa meu coração aquecido e feliz.
E, penso eu, que alcançamos um nivel diferente de comunicação onde a presença física é totalmente dispensável. Pude constatar isto várias vzs...
Qto ao museu, a Vale faz parte de mim, da minha história, da história da minha família. Vai ser mt bom retornar a esta parte da minha vida com vcs.
Bj gde pra vc, Gabi.
Bjo pra vc, Kátia