quinta-feira, 16 de julho de 2009

DESABAFO

Imagem Internet

Estou cheia de mim.
Não da vida, porque isso seria não dar valor ao maior bem que temos,
Nem da família, presença constante principalmente nestes momentos de inconstância.
Cheia de mim mesma.
Não dos amigos, presentes valiosos de Deus,
Tampouco do que tenho, material e imaterial, porque aprendi na miséria a valorizar a bonança.
Cheia mesmo da minha presença.
Cheia da mente correr e o corpo permanecer
Cheia de não poder programar o dia que vem
Cheia de passar a noite escrevendo na memória e não passar para o papel
Cheia de não lembrar o que escrevi na noite anterior
Cheia de ser essa pessoa, que não se parece comigo,
Tão estranha, fraca, frágil,
Cheia de sentir dor.

9 comentários:

VANUZA PANTALEÃO disse...

Minha amiga,
Bom dia!
Eu te entendo, tudo é frágil, só o Espírito se fortalece com as dificuldades.
Não desanime!
Te adoramos!!!

Kátia C. disse...

Minha querida amiga, se me permite, vou transcrever seu texto. Ele será meu post de hoje. Darei os devidos créditos, claro...
Não gostaria de te ver assim, não....Esta não é você. Tá mais pra esta Kátia daqui do que pra esta daí. Esta daí é uma fortaleza. Esta daí tem uma fé inabalável em si, na vida, nos sonhos, nos homens...
Fique bem, por favor. Você consegue...
E, pra você não caminhar só, tá lá no meu blog tbém.
Bjos.

Lu BArcelos disse...

=************


UPAAA!!!

Dauri Batisti disse...

Linda esta expressão de humanidade. Lindo este derrame de fragilidades, este escorrer de desejos: ser.

Camila Miranda disse...

por aqui, muitas mudanças...
mami te conta depois...
estou colaborando com o blog
www.bossanovacafe.blogspot.com
depois passa lá para conferir...
bjos e espero ver voc~e feliz novamente!

Jacinta Dantas disse...

Kátia, querida. Com empatia, escuto e acolho seu jeito de se desnudar diante da vida, verbalizando as dores humanas que te fazem querer um jeito melhor de se colocar no mundo. O mais bonito é perceber, no seu relato, a humildade e grandeza com que você se coloca diante de si mesma. Mesmo na dor - você acolhe e escolhe como opção - Viver
Beijos

Kátia C. disse...

Olá, minha querida amiga!!!
Tem selinho pra vc em meu blog.
Bjos.

Ilaine disse...

Kátia!

Sinto em tuas palavras um grande desabafo e uma busca por ti mesma. Destaquei do teu "quem sou" estas palavras, que são muito profundas e lindas:

"Às vezes sou água, outras sou fogo.
Mas acima de tudo sou mar.
Estou num corpo de mulher, mas sou tantas, sou múltiplas.."

Volte logo, querida amiga. Volte feliz!

Beijo

VANUZA PANTALEÃO disse...

Olhe o céu, as nuvens passam, as tempestades também!
Beijosssss