quinta-feira, 30 de julho de 2009

QUE VOCÊ NUNCA SE ESQUEÇA...



A gente passa a maior parte das nossas vidas correndo atrás das coisas que julgamos serem indispensáveis para que vivamos bem. Necessitamos de tanta coisa que a lista só vai aumentando. Se temos um apartamento de 60 m² precisamos de um de 100. Quando temos o de 100, já não é suficiente. Se moramos em apartamento só seremos felizes numa casa com quintal e cachorro; quando temos a casa, o quintal, o cachorro (e toda a sujeira que vem junto) queremos o apartamento. Se temos um carro comum, queremos automático. Se velho, queremos outro mais novo. E assim os dias, os anos vão passando e quando nos damos conta passamos quase toda nossa existência acumulando bens materiais.
E o que fizemos das pessoas que cruzaram nossos caminhos?
Quantas vezes deixamos que elas saiam de nossas vidas por pura falta de tempo, gastamos nosso tempo acumulando coisas, às vezes também pessoas, mas quanto tempo gastamos cultivando e cuidando daqueles que cruzaram nossos caminhos?
A maioria daqueles que me conhecem sabem que agradeço a Deus todos os dias pela graça de ter tantos amigos. Sou abençoada neste aspecto. Mas depois de tudo que me aconteceu eu fiquei imaginando o que teria acontecido com as pessoas que foram importantes na minha vida e que perdi.
Perdi para o tempo, para a distância, alguns pra a morte, para a correria dos anos que passei acumulando coisas.
Quando a “Dona Morte” cismou em querer me visitar, o máximo que fez foi me fazer perceber o quanto a gente deixa de dizer e fazer pelo outro, na suposição de que é desnecessário porque ele já sabe. E assim deixamos de dar aquele abraço de verdade, que abarca o físico e também a energia. Deixamos de dizer “eu te amo” ao amigo querido, aos nossos filhos, aos pais (quem ainda os tem)... o “eu te amo” fica, quase sempre, restrito ao amor físico e, quando muito, o dizemos aos nossos companheiros(as).
“Ela” também despertou em mim o desejo de saber o destino de algumas pessoas que passaram pela minha vida e que eu deixei que se fossem.
Assim, comecei a pesquisar na internet buscando uma pessoa a quem eu tenho um grande carinho, muito embora na última vez que nos vimos eu tivesse apenas 18 anos.
O tempo não conseguiu apagar todos os momentos que passamos juntos, o que crescemos juntos, o que aprontamos...
Ele foi um dos rapazes que fez a minha adolescência ser tão feliz.
Com ele dancei muitos bailes, ele me dava coragem para participar do roubo da “luz negra” – única da cidade - pertencente ao “padre bravo” para fazermos nossas boates no terraço da sua casa no período de férias, por ele eu viajava horas em estrada de chão, sacolejando naqueles ônibus de interior.
Com ele descobri amar longe e que distância é uma questão somente física (embora só viesse a ter consciência disso muito tempo depois).
Com ele eu vivi meu amor adolescente.
Brigávamos tanto que depois de umas três idas e vindas decidimos ser só amigos... e que amigos maravilhosos teríamos sido se a vida (ou o destino) não tivesse nos separado.
Hoje, depois de muita procura, eu o encontrei.
Falamo-nos ao telefone, rimos, brincamos, nos emocionamos... mas era pouco tempo para tanta vida separada.
Sei que muitas pessoas não compreendem como uma mulher casada sai procurando outro homem, ainda mais um ex-namorado. Ainda bem que meu marido tem a cabeça aberta e valoriza as amizades tanto quanto eu.
Por isso, meu querido amigo rencontrado, que você nunca se esqueça: Você é um capítulo muito bonito da minha história e que eu te amo.

PS1: Preservo a identidade do meu amigo porque ele (ainda) não sabe deste post.
PS2: Muito a contragosto estou tentando me adaptar às novas regras ortográficas (mas me recuso a escrever lingüiça sem trema).
PS3: Ele entende a foto... rs

16 comentários:

VANUZA PANTALEÃO disse...

Queridíssima amiga,
Cada vez melhor, cada vez mais intensa e verdadeira em tudo. São tantos os "quereres" que, por vezes, muitas vezes mesmo, abandonamos o Essencial: o lado Humano, a Vida propriamente dita. Acabei de dizer a um amigo daqui que está sendo muito difícil para mim manter o blog. São muitas pedrinhas no caminho, Kátia...mas, isso não me importa agora.
Penso em você também, constantemente. Passo por aqui quase sempre, mas não faço muitos comentários para não parecer - e já pareço - chata demais.
Faça sim, seus exames. Consulte seus especialistas, mas mantenha essa Fé! Ela é tudo o que nos sustenta, já tive provas irrefutáveis disso.
Realmente, você é uma Pessoa abençoada por Deus...ELE não a deixará só!
Volto amanhã, agora estou sob o efeito da emoção e não consigo dizer nada direito...
OBRIGADA POR TEU CARINHO!!!

Jacinta Dantas disse...

É isso, Kátia. O que somos hoje é, também, reflexo do que fomos ontem. E, ontem, fizemos escolhas - descobertas, amores, amigos, preferências...para abrir caminhos construindo e reconstruindo nosso jeito de ser. Então, que bom guardar em lugar de destaque, a amizade que marca e demarca momentos vividos.
Isso é bonito. É vida.
Beijo

VANUZA PANTALEÃO disse...

Ai, ai, ai, Amiga!
O tempo virou aqui e esfriou. Daí, o reumatismo chegou e é um tal de dor aqui e dor ali. Fiz um "poema" sobre o corpo, ficou horrível, só falava de fragilidades, dores, tudo de ruim, até me esqueci onde foi parar.
Relendo seu post encontrei tantas nuances, sutilezas...queria também reencontrar pessoas que ficaram pelo caminho. Uma ou outra eu busco no orkut, mas delas não me reaproximo mais, estão mudadas, sinto dificuldades em lidar com isso. Mas com você tudo flui e acredito que tenha sido uma experiência sublime o reencontro com esse amigo de outra data e ainda mais enternecedor contar com esse apoio afetuoso do seu esposo.
Uma família e amigos para te acarinhar, Kátia. Você é uma vencedora!
Deus está te abençoando!
Um abraço repleto de calorosas vibrações nesse inverno brasileiro!!!
*Só para te comunicar que sua foto linda da janela do blog e mais outras duas que me cedeste irão para o meu "bauzinho virtual", ou seja, aquele slide com as fotos antigas da família, selos, sonhos de viagens que não farei, enfim, minhas loucuras, risossss.Tchau!!!

VANUZA PANTALEÃO disse...

TAMBÉM TE AMO, MENINA!!
Agora, quem disser ou pensar que você não merece o AMOR unânime de todos que compartilham da Tua Alma...bem, esse daí, como naquele samba, "é ruim da cabeça ou doente do pé."
E já tô aqui, maquinando um postzinho maneiro, embora tenha gente que não goste, rsssss...tô nem aí!!!
Beijinhossssss

Gabi De Carli disse...

Ah, eu me vanglorio de ser a pessoa que sabe das entrelinhas e nesse post eu fiquei como mera espectadora (ou seria expectadora? ainda acho que vou saber mais dessa história! rs)
Beijos!

MENSAGENS AO VENTO disse...

_________________________________

Katia...A tanto tempo não lia seus textos e vim matar a saudade! Vinha sempre ler o diário da sua romaria à Santiago...


Tudo bem com você, amiga? Agora virei mais seguidamente...


Beijos de luz e o meu carinho!

________________________________

Sergio disse...

Ola, Katia!

Nao pense no que te ocorreu como uma visita da ´´dona morte´´...pense que Deus lhe deu a chance de reencontrar esse amigo querido...assim voce entende melhor.

Um beijo

Ana Lúcia. disse...

Katinha!!!!
Quanto emoção você deixou lá no meu cantinho...
Quanta identidade
eu encontro aqui
ao ler atentamente
quase uma "auto"biografia"" planetária...
Jóia rara
é pensar
discernir
e se atrever a confessar
que amar
AINDA é VIVER!!!
Gostei da coragem
detesto covardia
coragem é existir
covardia é morrer antecipadamente!!
Nota Dez!
Todos os meus aplausos, e, pro amor,
SEMPRE BISSSSSSSS!!
Deixo gratidão, beijãozinhoo e abração apertadinho!!

Miguel S. G. Chammas disse...

Kátia,
ue porazer te ver lá no meu cantinho de rabiscos e que susto saber dos teus males só agora.
Espero com toda a sinceridade que possas vencer aos males e continuar vivendo a vida, ela é preciosa e só ficamos sabendo disso depois de um grande susto.
Li seu texto emesmo achondo-o bonito, devo registrar que quando a "mulher de negro" tentou me visitar tive a verdade escancarada à minha frente e pude saber a quantidade enorme de amigos que acumulei nesses 69 anos de exustencia.
Foram tantas manifestações de amizade, que me surpreendi.
Foram tantas preces elevadas em meu nome que ela resolveu sumir por mas um tempo, graças a Deus.
Katia, já me coloquei como seguidor do teu blog e te linquei no meu cantinho. tá?

Eurico disse...

Tanto tempo sem te ler... mas vim aqui na hora certa. Essa foi a postagem mais bonita que já li. Talvez pq esteja me identificar com tudo o que vives e dizes, inclusive o que está nas entrelinhas. Ando tb a fezer uns exames médicos, com certa urgência, mas esses fatos tb me fazem alargar a consciência para uma afetividade, para uma fraternidade e para a necessidade de cuidar das amizades novas e antigas. Na medida do possível estou fazendo isso.
E te deixo um abraço carinhoso.
Ah, tb dancei sob as luzes estroboscópicas, rsrsrs, que palavrão, dancei sob a luz negra, que era azulada e fazia brilhar o branco dos vestidos das moças. Nostalgia?
Não. Mas seria tão bom se meus filhos pudessem viver isso, com o sossego de um tempo com muito menos violência.

Abraço sincero e fraterno.

Ilaine disse...

Kátia!

A recordação é algo muito precioso.
Fico feliz por teres reencontrado uma pessoa que foi muito importante para você. Isto é maravilhoso!

Beijo

VANUZA PANTALEÃO disse...

Gosta de história de criança, Katinha?
Acabei de fazer uma ainda a pouco. Não deve tá boa como o que você faz, mas achei até que caprichei. Sabe, não vou deixar essa "menina" morrer dentro de mim...só confira, se puder! Não precisa comentar mesmoooooo...só quero que você se sinta bem.
Te adorooooooooooo

VANUZA PANTALEÃO disse...

Teimosa que só ela!Rsss
Mas gosro da sua teimosia, a Vida exige que não cedamos e você não vai ceder, tenho certeza.
Olha, não quero me vangloriar dos médicos do Rio, não. Porém, eles são Excelentes, hahahaha.
Dia 17 estaremos aqui falando umas coisas pra Jesus. Sim, porque como uma boa maluquinha que sou, eu falo com Ele e com sua Mãezinha. Ó, e Eles sempre me atenderam, tá sabendo?
Você só tem que ficar bem calminha e tomar uma gostosa água de coco à beira-mar ou vai me dizer que vem ao Rio e não vai à praia?
Um suquinho de maracujá também é uma boa e é o que vou fazer agora.
Não esquenta demais, menina!
Vai por mim!!!Bjsssssssssssssssss

VANUZA PANTALEÃO disse...

Erro, erro: GOSTO...foi bom porque tirou do treze, sai fora!

Gabi disse...

Agora eu sei de tuuuuudo! heheheh
Beijo grão!

Léo Metallica disse...

Todos temos nossas histórias... E eu vou vivendo as minhas agora com honrosas glórias para poder ter um dia um momento como o que vives.

Direto do Rio.
Beijos.