sábado, 8 de maio de 2010

ESTOU EM CASA!




Graças a Deus estou de volta à casa...
Estou começando a enjoar de hospitais (rs)!
Mas, enfim, mais uma vez, deu tudo certo...
Os "pilotos" continuam apostando corrida tendo-nos nas cadeiras de rodas como veículos, hospital continua sem cheiro de hospital, insistem em nos acordar (quando conseguimos dormir) para dar remédios nas horas mais absurdas, tipo duas e meia da madrugada...
Apesar dos pesares, fui super bem tratada, fiquei numa ala vip que nem nome de quarto tem - é "suíte"! Gostaram?
A única coisa que não muda são as inúmeras picadas - bomba de infusão, medidor de glicose, soro, anti-coagulante, etc.
Estou com medo de tomar líquidos e começar a vazar que nem regador!
No mais, vamos em frente, que muita coisa boa me aguarda!
Obrigada pelas palavras de carinho e conforto.
Obrigada por existirem.
Obrigada por não desistirem de mim.
Amo vocês.

3 comentários:

Poeta Mauro Rocha disse...

Feliz dia das mães e peço emprestado esse poema do nosso poeta maior e faço essa homenagem:


Para Sempre

Por que Deus permite
que as mães vão-se embora?
Mãe não tem limite,
é tempo sem hora,
luz que não apaga
quando sopra o vento
e chuva desaba,
veludo escondido
na pele enrugada,
água pura, ar puro,
puro pensamento.

Morrer acontece
com o que é breve e passa
sem deixar vestígio.
Mãe, na sua graça,
é eternidade.
Por que Deus se lembra
- mistério profundo -
de tirá-la um dia?
Fosse eu Rei do Mundo,
baixava uma lei:
Mãe não morre nunca,
mãe ficará sempre
junto de seu filho
e ele, velho embora,
será pequenino
feito grão de milho.

Carlos Drummond de Andrade

VANUZA PANTALEÃO disse...

Nunca! Jamais me esquecerei de ti, amiga! Mesmo que fique um pouco ausente aqui, meu pensamanto e minhas preces vão te acompanhar!!!Bjsss

VANUZA PANTALEÃO disse...

"Pensamanto". Puxa, quando me emociono os dedinhos enlouquecem, rs. Fique sempre com DEUS, Kátia!!!