sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

CORPO E LUZ

(mas poderia se chamar RESPOSTA À VANUZA)


Estava por conta do nada - como diria minha mãe - e fui parar no blog da minha querida amiga Vanuza Pantaleão. 
Vanuza é uma excelente crítica da "Sétima Arte". 
Como eu não consigo falar de uma só coisa, vale um adendo sobre "AS ARTES":
No ano de 1911, Ricciotto Canudo, intelectual italiano, propôs que o cinema fosse considerado a sétima arte, aumentando, assim, a lista anterior de Hegel (só a história dele e sua relação com a arte daria uns oito capítulos, quem tiver interesse poderá encontrar no link indexado) que relacionava as Seis Artes:
- Arquitetura
- Escultura
- Pintura
- Música
- Dança
- Poesia
Voltando - no post atual ela, Vanuza, tece comentários sobre "Stalker - O Caminhante de Tarcovsky"; como não tenho a competência da minha amiga para me aventurar por aquelas bandas, prefiro falar sobre a questão que ela levanta ao nos indagar: - Ithamara Koorax, quem se lembra? Voz possante, afinada e presença de palco avassaladoramente bela ao interpretar Se eu Quiser Falar com Deus.
Respondendo: Sim, eu me lembro. Mas a música que me marcou é outra.
O ano era 1993. A novela, Fera Ferida. A música, Corpo e Luz, na voz de Ithamara.
Eu nunca tinha ouvido falar dela e, passado tantos anos, ainda continua desconhecida por grande parte da população, o que é uma pena.
Naquele tempo a internet ainda dava os primeiros passos no Brasil, interligava Brasília e  capitais de dez estados: Bahia, Ceará, Minas Gerais, Pará, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo, ou seja, os mais novos sequer poderão imaginar o que era viver assim, sem internet! 
Não tinha serviço de busca, nem download, nem cd, nem nada.
Quem quisesse ouvir uma música tinha que comprar um LP! A Wikipédia diz que Long Play (LP), conhecido como disco de vinil, "é uma mídia desenvolvida no início da década de 1950 para a reprodução musical, que usa um material plástico chamado vinil." Então, quem queria ouvir música tinha que comprar um disco e ouvir através de um toca-discos (recuso-me a discorrer sobre mais antiguidades!).
Por esse motivo passei muito, muito tempo ouvindo apenas a música Corpo e Luz na voz da Ithamara Koorax. Aqui (Vitória-ES), cidade considerada fora dos grandes eixos, era impossível encontrar um disco só dela... Só consegui muito tempo depois, já na era das compras virtuais.
Assim, através de livros e revistas foi que consegui saber que tratava-se de uma música da ópera Tristão e Isolda, de Richard Wagner, numa adaptação de André Sperling e Paulo César Pinheiro.
Tomei emprestada a canção e fiz dela "a minha canção".
Quem não conhece vale a pena procurar conhecer esse universo composto por Wagner, Tristão e Isolda, Ithamara Koorax!
Deixo-os com os versos da adaptação:

Mulher que tem vida sofrida

Desfaz qualquer trama da vida
Quem sabe ser só
Depende de ninguém
E vive pras coisas que tem

Mulher que tem a alma forte
É flor de luz
Não há quem porte
Mas seu coração anseia por prazer
Quem vai nesse fogo se arder

Mulher que tem os pés na terra
Não vive em paz
E a vida é guerra
Mas sua paixão precisa saciar
Quem vai nesse corpo deitar 

6 comentários:

Eliany Souza Trassi disse...

Bom dia!
profundo!

Vanuza Pantaleão disse...

Acabei de te enviar um e-mail, Kátia. Amanhã passo aqui para deliciar-me com teu post, mas quero só adiantar que és muito generosa comigo, muito mais que mereço.
Beijinhos nessa madrugada!

Vanuza Pantaleão disse...

Por Deus, amiga!
Estou boquiaberta e enternecida após ouvir essa canção...
Divina Ithamara! Divina seja você pela escolha, Kátia!
O interessante é que já venho pensando em fazer um post sobre a mulher que trabalha duro pela sobrevivência e, agora, você me presenteou com a música.
"Mulher que tem os pés na terra
Não vive em paz
E a vida é guerra..."
Outro detalhe, não menos importante, é a sua fantástica capacidade de síntese, minha amiga. Você pegou todos os dons artísticos da humanidade e os irmanou num só texto; costuradinhos e harmônicos e ainda diz-me ser uma resposta a mim. Ah, se eu pudesse obter todas as respostas da minha vidinha assim!
Obrigada, de coração, Kátia! Nem sei mais o que dizer...
Deus lhe pague por esse momento iluminado!!!!
Beijos e uma beleza de semana!!!!

Vanuza Pantaleão disse...

Bom final de semana aí, amiga!
Puxa, essa foto está transcendental!
Te adorooooooo

Maria Oliveira disse...

Oi,vim conhecer seu Blog,amei e já estou super seguindo,parabêns por seu cantinho e muito sucesso aqui!

Te convido para conhecer meu Blog e se gostar e puder seguir também,será muito bem vinda,sinta-se em casa!

Ah,tem sorteio rolando por lá,participa! :)

http://umamulherbemvestida.blogspot.com

Dag disse...

Kátia, vc é um doce de coco, doce de coco, daqueles clariiiiinhos, que dá água na céu da boca, e no céu do coração. Como é delicioso ler vc. Só não foi melhor ao ler este de hoje, porque te sinto "meio que meio", e de longe não podemos te colocar no colo, nem saber ao certo o pôrque de tudo. E nem sei se seria pretensão entrar neste mérito. Mas minha querida amiguinha, seja o que for, não dê importância maior do que possa ter, ao conteúdo desta "gaveta". Vc é muito mais, nunca afirme o que vc acha dispensável. Amanhã será novo dia, com ele mil opções para fazer vc sorrir. Beijos com carinho.