segunda-feira, 25 de março de 2013

SÚPLICA

Antes de iniciar meu relato gostaria de postar um poema feito no hospital.
Em homenagem ao Dr. Walker Penedo Monteiro, anjo que Deus colocou no meu caminho




Esta mulher refletida no seu olhar límpido,
Sabe, Doutor? Com a face encovada,
Palidez constante, olhar embaçado,
Necessita tanto do seu cuidado.
Necessita nutrição, antibióticos, analgésicos,
Proteína, sódio, potássio,
Alguém que lhe pense as feridas,
Alivie suas dores,
Console seus temores.
Mas – sabe, Doutor? – essa mulher não sou eu.
Embora faça parte de mim.
Por isso lhe peço,
Não deixe de atentar à outra,
Àquela que se encontra oculta
Por trás de dores, suturas, doença.
Essa, Doutor, também necessita ser cuidada,
Muito bem amparada,
Nutrida de doses de carinho e atenção,
Frascos de sonhos,
Cápsulas de esperança,
Um leve toque de mão.
Porque é essa, Doutor, a que sonha,
Que não permite que a outra, a que sofre,
Desista.

4 comentários:

Gabriel Araujo disse...

Que lindo Kátia...

Não deve ser nada fácil essa batalha entre as 'duas mulheres em uma' citadas no seu poema.

Que aquela que sonha prevaleça nesse momento!

Dauri Batisti disse...

Lindo! O que dizer? Ler de novo.

Vanuza Pantaleão disse...

Aquela que sofre e aquela que sonha, irmãs siamesas...acredito que agora, ambas estejam com sua única alma pacificada, curada.
Os médicos (os bons), merecem todo o nosso apreço e homenagem.
Doce Páscoa, amiga!!!

renata disse...

Que lindo o que escreveu. Dr. Walker é um anjo mesmo. Um médico como poucos, atencioso demais.