segunda-feira, 27 de outubro de 2008

DIFERENÇA ENTRE NECESSÁRIO E ESSENCIAL

OU TAMBÉM PODERIA SER AS LIÇÕES DO CAMINHO



A “esparrela” (na linguagem da Cris) que passamos até chegar um Calzadilla me fez parar e refletir muito.
Uma vez que Calzadilla não tem nada para fazer, nem ver. É apenas uma rua, vinte e poucas casas, os jovens indo embora, sobrando só os velhos... Fiz que nem o Mauricio, fui arrumar meu inconsciente... Espalhei tudo na cama!
Quando estávamos preparando a viagem fizemos listas das coisas que julgávamos ser necessárias e indispensáveis e, baseadas nestas listas, fizemos nossa bagagem. Mas depois de mais de 400 km de caminhada, muitas coisas deixadas para trás (isso só falando das coisas materiais) e do que despachamos para Santiago, verifiquei que meu conceito de essencial era diferente do conceito de necessário. Quando espalhei minhas coisas e vi o “tiquinho” de bagagem, descobri, realmente, que a gente pode viver com muito pouco. Não estou dizendo que no dia a dia venhamos a viver da mesma forma espartana, mas houve uma época que para ser feliz eu tinha que comprar pelo menos dois pares de calçado por mês... para quê? Se só tenho dois pés!
Para vocês terem uma idéia, vejam a lista do que iniciei a jornada e a que fiquei reduzida:

Remédios que levei
- Elixir Paregórico
- Polaramine
- Colírio
- Sorine
- Relaxante muscular
- Novalgina
- Tilatil
- Polvilho antisséptico
- Atadura
- Micropore
- Curativos de diversos tamanhos
- Emplastro sabiá
- Mercúrio
- Plasil
- Pomada antiinflamatória para bolhas
- Gel para contusões
- Vick
- Algodão
- Álcool
- Cotonete

O que ficou:
- Polaramine
- Relaxante Muscular
- Tilatil
- Micropore
- Curativos
- Pomada
- Gel
- Algodão
- Álcool (deixei para trás o meu e comprei um novo, chamado Álcool de Peregrino)
- Cotonete
- Betadine (Remédio espanhol próprio para bolhas, à base de iodo)

Produtos de Higiene/Toucador:
- Protetor solar
- Protetor íntimo
- Escova de dente
- Creme dental
- Fio dental
- Sabonete
- Hidratante para corpo e rosto
- Shampoo
- Creme de cabelo
- Desodorante
- Lâmina descartável
- Pente
- Baton
- Lápis para olhos
- Fitas e adereços para cabelo
- Perfume
- Papel higiênico
- Sabão de coco
- Tesoura
- Cortador de unha
- Estojo de costura


Reduzi a:
- Protetor solar
- Escova de dente
- Creme dental
- Fio dental
- Sabonete
- Desodorante
- Lâmina descartável
- Pente
- Baton
- Lápis para olhos
- Papel higiênico
- Tesoura
- Cortador de unha
- Estojo de costura (fiquei só com a linha e agulha)

Outros artigos
- 1 saco de dormir
- 1 toalha (minúscula)
- Lanterna pequena
- Bússola
- Canivete
- Protetor de Ouvido
- Fósforo
- Elástico com ganchos
- Pregador de roupa
- Fronha

Permaneceram:
- 1 saco de dormir
- 1 toalha (minúscula)
- Lanterna pequena
- Bússola (porque não era minha, senão ia para o espaço)
- Canivete
- Protetor de Ouvido

Roupas:
- 1 par sandálias Havaianas
- 1 par de botas
- 1 par de sapatos mocassim
- 3 sapatilhas de algodão
- 2 pares de palmilha
- 2 pares de meia soquete
- 4 pares de meia de algodão
- Tornozeleira
- 3 Camisetas
- 4 Camisas de malha manga curta
- 3 Camisas de malha manga longa
- 2 calças helanca para ginástica
- 3 conjunto lycra (top e bermuda)
- 3 soutiens
- 5 calcinhas
- 1 saia
- 1 blusa
- 2 vestidos
- 1 capa de chuva de plástico
- 1 capa Anorack
- 1 casaco Suplex
- 1 calça Suplex

Em Calzadilla eu tinha:
- Sandálias Havaianas
- Tênis comprados em Burgos
- 4 pares de meia comprados em Burgos
- Tornozeleira
- 1 camiseta
- 3 camisas de malha manga curta
- 1 camisa de malha manga longa
- 2 calças helanca para ginástica
- 2 conjunto lycra (top e bermuda)
- 2 soutiens
- 3 calcinhas
- 1 vestidos
- 1 capa de chuva de plástico
- 1 capa Anorack
- 1 casaco Suplex
- 1 calça Suplex

Foi, então, que descobri, que posso viver sim, e muito bem, com muito pouco... e ser feliz...
Mas a lição maior me veio da compreensão do verdadeiro significado de compartilhar. Como diz a palavra “partilhar + com”, no Caminho, depois do episódio do arroz doce, decidi rever meus conceitos e aprender. É muito fácil sermos caridosos dando ao outro aquilo que nos sobra. Alguém bate-nos à porta e doamos um prato de comida, um pacote de biscoito... doamos o que nos sobra. No Caminho aprendemos a doar aquilo que pode nos faltar. Foi lá que aprendi o verdadeiro significado de compartilhar e de caridade. Quando todos estão imbuídos pelo mesmo espírito, você encontra um companheiro de jornada, seja conhecido ou desconhecido, e ele está numa situação que necessita do único comprimido para dor que você tem. Em nenhum momento você pensa que esse comprimido pode lhe fazer falta lá na frente, você doa. É um irmão necessitado, e só isso importa. A certeza de que alguém lhe proverá a necessidade, se surgir, é tanta, que a gente não pensa duas vezes.
Das muitas lições que aprendi, talvez essas tenham sido as mais importantes:
- Precisamos de pouco para viver, a necessidade do muito surge do desejo de ser igual ou melhor que o outro, surge da comparação e não da essência.
- Caridade não é dar o que lhe sobra, mas dar, de coração, de acordo com a necessidade do outro, seja algo material, seja um pouco de tempo, seja um ouvido fraterno, seja um ombro amigo.

18 comentários:

Fernanda(Brisa Feliz) disse...

Infeslimente está em falta esta atitude...Caridade!

Espero que esteja tudo bem por ai.

Passa la no meu espaço tem presentinhos pra vc.

Bjos de luz amada!

Essência Pura disse...

"Nada pode impedi-lo quando você estabelece um objetivo. Ninguém pode impedi-lo, a não ser você mesmo. Eu acredito nisso."(ad)

Grandes descobertas, grande lição...

Feliz semana

Miriam

VANUZA PANTALEÃO/OBRA LITERÁRIA disse...

Katinha, querida mesmo!
Mas as suas listinhas não estavam tão, digamos, estapafúrdias, tenho que rir...quando fui visitar meus sogros levei tanta bijuteria que parecia que iria abrir uma butique.Não sou exatamente a caridade em pessoa, mas já tirei de onde não tinha para ajudar e tenho sido muito auxiliada, em todos os sentidos. A Vida sempre me abriu uma "janelinha", por isso e por tudo o mais, Creio no Amor Ágape...Ah! as visões do post anterior, seguinte:o cansaço exaustivo costuma nos fazer penetrar em "universos" inexplicáveis, andei lendo isso, um tema interessantíssimo...
Risosss...adorei o seu comentário sobre a "revolução de todos os séculos", a geladeira. Tema controverso, controvertido e leva muita gente ao divã.
Tá boazinha da "siderurgia", né? Já andas fazendo "estravaganças", rs. Adoro, adoro tudo aqui, fique com Deus, AMIGA!!!Bjsss

Jacinta Dantas disse...

Pois é Kátia,
o engraçado disso é que a gente leva um tempão para aprender. Mas, que bom! a gente aprende, todos os dias, um pouquinho de como viver melhor.
Beijo

Nadezhda disse...

Essa é uam das coisas que eu tneho que melhorar muito ainda. E preciso aprender a ter mais paciência com as pessoas.

;)

VANUZA PANTALEÃO/OBRA LITERÁRIA disse...

Kátia, e aí, recuperação total?
Só dando mais uma "vistoria"...reli as listas e, ai, não me acuse de materialista,mas as camisetas e o conjuntinho básico de calça comprida, eu não deixaria.Serviriam tanto para as minhas caminhadas...tudo bem! Só estou fazendo uma "gracinha".
Se cuida, tá?Bjsss

Quero estar com você disse...

Lições de desapego são as mais difíceis e as mais necessárias.
O que levaremos ao partir daqui?
Você no nosso bloguinho, um intenso momento de felicidade, te agradeço!
A Voz Dele nos guiará...

Dry Neres disse...

Desculpa a demora querida.. estou em fase de conclusão do curso na faculdade e estou abarrotada de coisas...rsrs
Me diverti ao ler tua lista de coisas... lembrei bem da listagem da minha vida e aprendi com vc que também posso viver bem, com bem pouco.. beeeeeijos querida! :)

Betty Branco Martins disse...

.querida Kátia




desejo





rapidamente as tuas melhoras:))






beijO___C_____CarinhO

Jardineiro de Plantão disse...

Mesmo assim, essa lista final é muito boa, esqueceu o bordão, óculos, máquina fotográfica, Binóculos, Mp3+rádio, massajador, Lenço para cabeça, chapéu, o colete leva tudo e dois daqueles lenços de 70 cm que dão para tudo...kkkk e a bandeirinha, ficou em casa?

A maneira de como a sua pena corre, nos mete no caminho também.

Cordiais abraços.

Mauricio disse...

Na foto, ao lado do leão Jr., seu rosto diz tudo.
- Que venha a Espanha toda -
E o "dedim"?, agora só falta se canditar a Presidência da República.

Gabi disse...

hahahahah
Adorei o comentário do lindinho!
Vai virar presidente? =P
beijo!

mundo azul disse...

Querida Katia... É verdade! Podemos viver com muito menos do que usamos...
Suas palavras finais, calaram fundo no meu coração!
Concordo...Caridade não é dar o que está sobrando, mas, o que o outro está precisando.

Mais uma vez me delicio com o seu texto!


Beijos nesse coração tão especial!

Daniel Rangel disse...

Quanta verdade!
E olha que Deus tenta nos ensinar tantas vezes... Olhai para os pássaros dos céus e os lírios dos campos. Não plantam, nem ceifam...

Obs.: Primeira vez que visitei esse espaço.

Tell Aragão disse...

que lindo esse aprendizado, acho que eu precisaria passar por algo assim tb...
o "caminho" mais recente que fiz foi uma faxina no meu guarda-roupas... e ainda bem que o polaramine tava por aqui... a crise de alergia veio em seguida...
estive ausente da blogosfera... perdi muita coisa?
é bom estar de volta
bjsssssss

paula barros disse...

Lendo e pensando na vida, na minha vida. Como é difícil esses aprendizados, e a vivência.
Mas aprendemos um pouco a cada dia.
Estais melhor?

beijos e boa semana

Eduardo Miguel disse...

- O caminho é de muitas oportunidades, mas que curtir a paisagem e as belas visões não nos tire de lá as oportunidades, parece que á você deu muito, parabéns um dia como filho de Espanhois irei também...

Sergio disse...

...é isso mesmo...como falei lá atrás sobre o episódio do arroz quando a solidariedade ultrpassa a educação voce doa o que tem...muitas vezes ao ver a pessoa feliz...sua dor passa

Aprendi isso em Brasilia, logo qundo mudei pra lá...um dia so tinha usn trocados e dei a um pedinte na rodoviaria do Plano Piloto...Fui ao banco e nao tinha dinheiro, um DOC nao havia chegado....e nao chegou...fiquei com fome,sede...à tarde um amigo, Vilar, que estava no dia anterior no meu trabalho, passou na minha frente em um shopping da cidade... e mesmo sem me conhecer, na humildade, pedi-lhe dinheiro...prometendo devolver no dia seguinte...o que fiz.

...nunca esqueci isso...nunca esqeuci o Vilar...nao o encontro desde 1987, mas, jamais o esqueci...depois no trabalho, rimos disso..