terça-feira, 27 de maio de 2008

TLACOTALPAN - MÉXICO



Em primeiro lugar: não se passa em Tlacotalpan. Ou você decide ir até lá ou não vai conhecer nunca, porque é necessário deixar a estrada principal e tomar uma secundária que leva até a que considero a mais colorida cidade do México.
É antigo território dos índios Toltecas.
Em 1998 foi declarada, pela UNESCO, como Patrimônio Cultural da Humanidade.
Situada no Estado de Vera Cruz, fica bem próxima ao Golfo do México e, ainda hoje, o transporte fluvial é muito presente.
Terra de Agustín Lara, grande compositor e cantor do séc. XX, suas obras mais conhecidas são Granada e Solamente Una Vez.
Tlaco, como chamam os mexicanos, é rica em cultura: música, dança, literatura, artesanato, comidas típicas além, é claro, da arquitetura única.
Gostei tanto de lá que já fui duas vezes.
Esta história é da primeira vez que fui lá.
Talvez por suas cores, é um lugar onde tudo fica alegre, ou talvez em virtude de uma bebida típica chamada Toritos, feita de frutas e aguardente, parece uma "batidinha", só é mais encorpada e doce (e você vai tomando por "desce fácil... o resultado nem preciso falar!).
Como tudo acontece comigo, na maioria das vezes coisas boas, estava eu saboreando um Toritos, quando vi um turista (é tudo igual em toda parte do mundo, ou seja, reconhecíveis) com um abanico (espécie de leque) na mão, lindo (o abanico, claro!). Resolvi perguntar onde ele havia comprado, ele me indicou uma cooperativa de artesãos. Fui eu comprar o dito cujo e conversa daqui, conversa dali, uma das senhoritas vai e me convida a entrar no que me pareceu ser a Secretaria de Turismo, que fica nestes portais, onde também ficam inúmeros bares e restaurantes, resumo da ópera: Estava tendo uma mostra gastronômica, de todos os restaurantes da cidade, com pratos típicos fantásticos... e o melhor, de graça!!!!!
Comi feito uma rainha!!!!
Eu mereço!

DICAS

- Não deixe de saborear o tal de Toritos (nem que seja para não tomar mais quando regressar!)
- Experimente almoçar em um dos restaurantes que têm varandas para o rio ou o porto fluvial, a vista é linda, e a comida, excelente!
- Coma "Arroz a la Tumbada" - é uma espécie de risoto com frutos do mar. Normalmente uma porção dá para duas pessoas se fartarem e ainda sobra. Mas lembre-se: se você não gosta de pimenta, não se esqueça de pedir "sin chile". Esta dica serve para toda e qualquer comida, em qualquer restaurante, peça "chile a parte" - é mais seguro.
- Visite a cooperativa de artesãos, tem coisas lindas (fica nos portais, bem no centro).
- Se der, visite a Casa de La Cultura Agustín Lara.
- Outro passeio interessante é tomar uma lancha e ir pela "ribera del Papaloapan" - rio que vai desagüar, não muito longe, no Golfo.
- No mais é deixar-se levar pelas cores e beleza do lugar!

Fotos:
1 - Portales
2 - Iglesia San Miguelito
3 - Praça típica

6 comentários:

Filósofo disse...

Olá Kátia, muito obrigado pela visita, seu blog é muito bonito.
Um abraço.

DE-PROPOSITO disse...

Olhando as fotos. Uma forma de viajar.
Felicidades.
Manuel

balboa disse...

brigado pelo reconhecimento... é sempre bom ouvir essas coisas.

pretendo me aventurar pela américa latina no fim desse ano e certamente lembrarei das dicas.

Lu Barcelos disse...

Katita!
Quantas dicas preciosas!!!!
bjobjo

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Que inveja, quem me dera. Eu cá doente.
Postei sobre o filme Across the Universe.
Vá lá:
wwwrenatacordeiro.blogspot.com/
não há ponto depois de www
Um beijo,
RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO

Jacinta Dantas disse...

Ei Kátia,
é mesmo uma delícia participar desse seu passeio. Gulosa que sou, fiquei com água na boca e até visualizei o "Arroz a la Tumbada", com pimenta e tudo. Eita coisa boa.
Beijos