segunda-feira, 19 de novembro de 2007

ASSIS - ITÁLIA


Embora não sendo católica e, portanto, não tendo apego por imagens e santos, existe algo maior que me une a São Francisco de Assis.
Talvez por ser romântica inveterada e ter um fascínio pelas histórias de casais sofredores: Francisco e Clara de Assis, Abelardo e Heloísa, Romeu e Julieta, Dirceu e Marília... essas pessoas sempre me pareceram especiais e, dentre todos, Francisco o mais especial.
Como Roma (para mim) foi aquela "maravilha" que relatei, não perdi a chance de tirar um dia para conhecer Assis.
É claro que eu não esperava encontrar a Assis do filme, com seus campos, suas casas e povo humilde, sua capela rústica... na verdade eu não sabia bem o que iria encontrar, só sabia que existia uma força maior que me impelia a ir até Assis.
Do baixo, onde fica a estação, avista-se, majestosa, a Basílica.
Fomos direto para lá e ao entrarmos estava acontecendo uma missa. É muito bonita, tinha muita gente, etc e tal. Como era terminantemente proibido fotografar, comecei a andar pela basílica, tentando evitar os grandes grupos.
Fui devagar, admirando os vitrais, os painéis, as pinturas... e dentre as opções possíveis, optei por seguir à esquerda.
Foi quando comecei a sentir um arrepio e uma emoção diferente.
À medida que avançava essa sensação se tornava mais e mais intensa, até que percebi estar exatamente em frente ao altar onde estão os restos mortais de Francisco de Assis, na pequena capela por ele construída com a ajuda de seus fiéis seguidores e que lá também se encontram.
Ao tocar aquelas pedras, já não me era possível segurar as lágrimas.
Fui tomada de um pranto convulsivo, de emoção pura e de uma paz que jamais havia experimentado.
Quanto tempo permaneci ali, meio ajoelhada, meio sentada, não sei...
Só sei que foi uma das emoções maiores da minha vida. Daquelas que a gente não encontra explicação e que carrega vida afora, eternidade adentro.

"O Franciscanismo é o imenso mundo onde harmoniosamente encontram lugar Deus, o homem e toda a natureza.
Em Assis o mesmo sol, a lua, as estrelas, o fogo, a água, o vento se sentem como em sua própria casa, porque Francisco chama a todos com o doce nome de irmão e irmã.
Até o ponto que o conjunto do plano divino da criação ante Francisco perde o véu que o esconde dos demais mortais.
Francisco contempla a natureza com assombroso e reverente olhar como a contemplou o primeiro homem no radiante amanhecer do mundo "

DICAS:
- Se algum dia tiver a chance, única, de conhecer Assis, não deixe escapar...

- Preste atenção ao chegar à estação, pois é necessário pegar um ônibus para chegar até os portais da cidade e o ponto fica do outro lado do asfalto (eles também não são muito bons em ofertar informações). Se estiver em grupo é melhor pagar uma van, que cobra preço fixo e não por passageiro.

- Passeie, em pressa, pelas ruelas medievais, com suas lojas de artesanato. São bordados, esculturas, pinturas, armas medievais, que você só encontra lá.

- Visite a Igreja de Santa Clara, no lado oposto da cidade.

- Visite a casa onde viveu São Francisco.

- Na rua que dá acesso à Praça Principal, tem uma pizzaria (não me recordo o nome), é só uma porta, um balcão com as pizzas expostas do lado direito e um com banquetas do lado esquerdo. Você come uma pizza deliciosa, sem contar que tem uma placa dizendo: "Se estás mal humorado, aqui não é seu lugar". Amei! Ah! Tem também um painel onde as pessoas escrevem nos pratinhos de papelão e deixam suas mensagens... quem for lá procura pela minha.

3 comentários:

Jorge Elias disse...

Olá Kátia,

Escreveste sobre casais...
Lembrei-me imediatamente de Inês de Castro no mosteiro dos JerÔnimos (Alcobaça), Portugal.
É lógico que vc pode colocar um link no seu blog!
Um grande abraço,

JEN

CiganaVioleta disse...

Brima....vc teve em Assis?????????
Ai!..tou emocionada aqui...
iamgino que delícia deve ter sido..
Menina...quantoslugares vc conheceu?????????
e como tá? passou a crise existencial????
a minha tá resolvida..por bem ou por mal... kkkk

Suely Sardou disse...

Olá Kátia,
Também tive o prazer de visitar Assis em Setembro/1998, meses depois do terremoto,a visita ficou um pouco prejudicada, pois parte da Igreja estava interdidada, mas mesmo assim VALEU, você esteve no jardim de rosas? Onde as mesmas não tem espinhos? Você conhece a história dessas rosas? Tem algo de diferente neste lugar! Tenho vontade de voltar a Assis, Loreto (independenete de religiosidade) também tem algo muito forte e a sempre bela Roma!
suelysardou@bol.com.br