quinta-feira, 22 de novembro de 2007

QUANDO...

Quando eu me for para longe
Quando os seus olhos não mais puderem alcançar-me,
Lembre-se de mim.
Quando meus olhos não mais brilharem
Pelo simples fato de fitar os seus,
Lembre-se do que fui.
Quando já puder olhar você de frente
E a dor não mais travar minha garganta ao ver você,
Lembre-se do que partilhamos.
Quando tudo tiver se esvaído
Na bruma insondável do tempo,
Lembre-se de mim, com carinho.
Quando os anos insistirem em apagar
As recordações de tudo que vivemos,
Ne música, nem retrato, nada sobrar,
Dos bons momentos que tivemos,
Apenas lembre-se de mim.
Pois assim viverei eternamente
No seu coração e na sua mente.
Porém, se ao lembrar-se,
Uma tênue névoa turvar seu olhar,
Prefiro, mil vezes, que se esqueça e que sorria
Do que, ao lembrar-se, entristecer-se

Autora: Kátia Corrêa De Carli
Livro: Múltiplas Faces

Imagem: Parco Sempione - Milão - Itália

2 comentários:

CiganaVioleta disse...

Ai Katia...até queria escrever..mas não tenho esta sua inspiração..rsr


Beijos!!!

Flora disse...

Oi Kátia! Entrei no google pq certa vez li um texto que falava sobre o ano que terminava e nunca mais me esqueci. Queria presentear uma pessoa muito especial e pensei em anexar este texto, mas tudo o que eu coseguia me lembrar era:"não foi um ano perfeito, mas houve algum dia, algum ano perfeito?!" Então, encontrei o teu blog, será vc a autora deste texto maravilhoso? Onde posso conseguír este texto? É pra hoje!!!!!Desde já muito obrigada e parabéns pelo seu trabalho, já adicionei vc aos meus favoritos. Feliz Natal e um lindo Ano Novo. Flora