quarta-feira, 14 de novembro de 2007

DOR DE MULHER


Dor de mulher eu conheço
Dor que sangra, escorre e acaba
Repetindo tudo no outro mês.
Dor que contrai, rasga e expele
Esquecida ao primeiro choro.
Dor de agonia,
Nas noites intermináveis de vigília.
Dor de emoção,
Que embarga a garganta
Na primeira separação.
Dor de filho,
Que se confunde com a dor da gente,
Porque mãe é tudo igual.
Dor de alívio
Ao ver a prole de volta na madrugada.
De dor de mulher eu entendo.
Mas essa dor nova,
Que dilacera as entranhas,
Que faz urrar de desespero,
Que sangra,
Que rasga,
Que fere
Mas nada expele.
Que não tem alívio,
Que não se esquece,
Que não tem ciclo,
Que só provoca mais dor,
Deixando sem fé o coração.
Essa?
Só sinto.
Entendo não.

Autora: Kátia Corrêa De Carli
Livro Múltiplas Faces
Ilustração: Joyce Brandão

2 comentários:

Kika disse...

Lindo seu blog. Como você escreve bonito.
Estou começando a lidar com um blog também.

Luiz disse...

Acho que agora terei de criar um blog também....

Levei um susto quando fui no seu flog, inda bem que tinha esse link nos favoritos.

bajo Kátia