terça-feira, 15 de julho de 2008

CAMINHO CRISTÃO

Faz pouco tempo que uma pessoa me perguntou por que eu havia feito o Caminho de Santiago se não sou católica. Então fui explicar para ela a minha visão do que é o Caminho, que antes de tudo é um caminho Cristão. Para os que não conhecem, vou começar esta peregrinação (é isso que pretendo fazer, mas sem bolhas nos pés – rs) resgatando a “história” (ou lenda, como crêem alguns) do Caminho.
Seguindo a orientação de Jesus, após sua ressurreição, que disse a seus discípulos: "Ide e Pregai", seus Apóstolos saíram da Judéia para espalhar suas palavras em terras desconhecidas.
Tiago, filho de Zebedeo e Salomé e irmão de João (também Apóstolo e um dos quatro Evangelistas), frustrado com as constantes perseguições que sofreu Cristo e que continuava atingindo todos os demais cristãos, decidiu pregar em Finisterrae um lugar muito remoto onde não havia perseguições aos cristãos. Esta região, localizada na parte mais a oeste da Europa, era então considerada o fim do mundo, daí o seu nome – “Fim da Terra”. Após uma longa jornada, em um pequeno veleiro que praticava o comércio em todo o Mediterrâneo, chegou a Iria Flávia, cidade na qual conseguiu vencer várias dificuldades iniciais e à partir da qual iniciou seu trabalho de evangelização entre os povos da região.
Após seis anos de pregação, decidiu que era hora de voltar à Palestina a fim de contar o que tinha conseguido e trazer mais evangelizadores à Hispania (atual Espanha).
O retorno foi muito difícil e dois anos depois finalmente aportou em Jafa e seguiu para Jerusalém. Nesta época os judeus eram regidos por Herodes Agrippa, que levou as perseguições aos judeus às últimas conseqüências. Após um curto período de pregação, Tiago foi preso e sentenciado à morte por decapitação e abandono dos restos mortais às feras do deserto.
Porém, antes de morrer Tiago pediu a dois de seus discípulos, Atanásio e Teodoro, que enterrassem seu corpo nas terras distantes onde pregara. Seus restos, assim, teriam sido depositados numa tumba de mármore e levados de barco até a cidade de Iria Flavia, hoje Padrón, às margens do Rio Ulla. A viagem seguiu por terra até um bosque chamado Libredón, onde enfim, ele acabou sendo enterrado no ano de 44 d.C.
Passaram-se quase setecentos anos, e só em 822 (alguns firmam a data 813) um eremita de nome Pelayo, viajando pelo interior da Espanha, percebeu uma grande chuva de estrelas. Foi até o local onde elas caíam e depois avisou o bispo da região da Galícia, Teodomiro, da existência de um “Campus Stellae” (Campo de Estrelas). Segundo os relatos, havia uma estrela fixa que iluminava o local do sepulcro.
O bispo mandou investigar e, após as escavações, foi descoberto o jazigo com o nome do apóstolo Tiago. O cemitério então, da época romana, ficou conhecido nos escritos medievais como “El Campo de la Estrella”.
O rei da Espanha Afonso II, o “Casto”, mandou erigir um pequeno templo para proteção da tumba apostólica, uma capela de pedras e um monastério. Assim nascia "São Tiago do Campo das Estrelas", numa referência às luzes que guiaram o ermitão e que depois inspirou Compostela.
Mas, em 997, o templo foi incendiado pelos muçulmanos e, desta vez, o rei Alfonso III, ergueu um novo templo, muito maior do que a capela que havia no local. Tiago transformou-se num “símbolo vivo” da resistência cristã aos ataques muçulmanos no território espanhol.
Após a queda de Roma, se divulgou pela Europa a aparição do sepulcro do apóstolo e logo se iniciou o movimento de peregrinos até a tumba. Assim, Santiago se consolidou como um dos três centros de peregrinação européia, junto com Jerusalém e Roma.
Por ele caminharam todas as classes sociais da Europa: santos e pecadores, reis e plebeus, homens de guerra e de paz, etc. Nos tempos iniciais o caminho não tinha um traçado fixo e inalterável. Os primeiros peregrinos deveriam andar através da Cordilheira Cantábrica, e pouco a pouco, foi-se fixando uma rota permanente.
A primeira grande peregrinação conhecida deu-se no ano de 951, o bispo Gotescaldo, de Le Puy, de uma cidade francesa, saiu a cavalo para visitar o túmulo do santo. Depois disso, no século XI, Le Puy e outras cidades francesas ficaram conhecidas como tradicionais pontos de partida até Santiago. Pessoas de várias partes da Europa passaram a repetir o feito do bispo.
Por todos esses séculos, a Catedral de Santiago de Compostela, onde jaz os restos mortais legendários do apóstolo São Tiago, santo padroeiro da Espanha e que é comemorado no dia de 25/07, passou por uma série de ampliações arquitetônicas.
O primeiro registro oficial sobre os caminhos dos peregrinos Compostelanos data de 1131, que sob encomenda do Papa Calixto II, o sacerdote francês Aymeric Picaud, escreveu o primeiro guia de acesso a Santiago.
O “Códice Calistini” ou “Liber Sancti Jacobi” foi a primeira publicação a ratificar o Caminho a Compostela e descrever todos os passos do trajeto "iniciático" à cidade Santa.
A tradição do Caminho de Santiago como uma das maiores rotas de peregrinação do Ocidente desde a Idade Média, está cada vez mais viva. O que historicamente foi uma das rotas mais importantes de peregrinação cristã é hoje um dos principais roteiros turísticos da Espanha.
Atualmente, a rota mais conhecida e pergorrida inicia-se na cidade francesa de Saint-Jean-Pied-de-Port e atravessa os Pirineus até Roncesvalles, na Espanha.
O Caminho de Santiago não inicia quando você tira a “Credencial del Peregrino”, ou quando compra a passagem, nem mesmo quando dá o primeiro passo. O Caminho inicia quando brota, no fundo do seu coração e da sua mente a vontade de fazê-lo, o tempo de espera é, com certeza, o tempo que Deus acha necessário para cada um. No meu caso a espera foi de 20 anos.
Mas isso é assunto para o próximo capítulo.

7 comentários:

ROSA E OLIVIER disse...

"Reis Magos, é tempo!
Ofrecei bosques, várzeas e campos
á menina selvagem:
ela veio atrás das libélulas!"...!?...

Baci.

Poeta Mauro Rocha disse...

Ótimo texto!!

Tenho um desafio:

Um amigo teve a idéia, quer participar? É o seguinte:

Caso você vá para uma ilha deserta por algum motivo não explicado (LOST) srssrsr, porém é só você e mais ninguém, você tem o direito de levar: 5 discos, 5 filmes, 5 livros apenas para passar o tempo, quais escolheria? Lembre-se só 5 e nada mais, no caso dos discos não pode ser coletânea e se escolher tanto o grupo quanto o cantor, deve informar qual o disco, ex: Michael Jackson (Triller), e os livros o nome do escritor, depois escolha 5 pessoas para fazer o mesmo!!!

5 DISCOS


5 FILMES


5 LIVROS

5 Pessoas para participar

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Amigona, a cada dia com um post mais interessante do que o outro.
Estou bem melhor, pesando 38 quilos. Fiz nova postagem, o filme é surpresa.
Apareça aqui:
wwwrenatacordeiro.blogspot.com
não há ponto depois de www
Um beijo,
Renata

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Quero sim. amiga;
Mande-as pelo meu e-mail:
renata.mparreira.cordeiro@gmail.com
Um beijo,

titofarpas disse...

Parabéns pelo blog.
Felicidades

Entre o Fascínio e o Pensamento disse...

Olá, amiga!! =)
Quanto a trilogia, você acabou de completá-la com esse maravilhoso texto..
É um banquete ímpar vir aqui!! =)
Obrigada! Você é maravilhosa e doce sempre no que nos transmite!
Beijo grande.

Dry Neres.

Sergio disse...

Katia, alguma coisa aqui ja sabia...por livros...parece ter vivido em cada tempo.