quinta-feira, 27 de novembro de 2008

ASTORGA, UM CAPÍTULO À PARTE



Chegada a Astorga


Astorga é uma cidade linda e respira história por toda parte.
Chegamos ao albergue e fomos muito bem recebidos pelos hospitaleiros. O albergue, apesar de simples, é muito acolhedor. A Cris estava mal. As camas eram “treliche” (rs). A Cris foi pro “poleiro” de cima (como ela dizia), o Mauricio no meio e eu embaixo. Eu fazia qualquer negócio para não ter que dormir na parte de cima. Meus pés doíam, mas como eu disse, já estava me acostumando com a dor, daí, quando a Cris disse que ia ficar no Albergue, eu e Mauricio resolvemos sair para conhecer a cidade.
Eu tinha uma lista enorme de coisas a conhecer.

Parêntesis 1: Durante todo o tempo em que sonhei fazer o Caminho, e depois, quando comecei a ler os livros onde peregrinos narravam suas histórias, eu ia anotando tudo o que tinha de interessante em cada cidade: monumentos, museus, igrejas, pessoas, etc, que depois escrevi no meu guia. Então, quando chegava numa cidade, tinha minha listinha de visitas, em ordem de prioridade (rs).

Astorga


Parêntesis 2: A história de Astorga se confunde com a história do Caminho... chamada de Asturica Augusta, era um importante centro astur e romano e ponto de comunicação. Na idade média chegou a ter 25 “hospitales” (os albergues de hoje), o mesmo número dos existentes na capital da província de León – Burgos, sendo que sua população era dez vezes menor que a da capital. Eram tantos albergues que se criou uma nova função, o “veedor”, encarregado de visitar, ao anoitecer, todos os estabelecimentos para que os pobres e os viajantes não repetissem noite em um albergue diferente e assim permanecerem por muito tempo na cidade. Os peregrinos cruzavam a Porta do Sol e seguiam pelas ruas de San Francisco até chegarem ao centro. As construções mais importantes encontram-se reunidas numa mesma área. O Palácio Episcopal, encarregado a Gaudí depois do incêndio que destruiu em 1866, e que agora é conhecido como Palácio de Gaudí e abriga o Museu dos Caminhos, o que sobrou das muralhas romanas e a Catedral Santa Maria, que levou 300 anos para ser construída.

Antigo Palácio Episcopal, hoje Palácio de Gaudí

Saímos a passear pelas ruas, comemos num restaurante ótimo (parecíamos até gente!) e resolvemos começar pelo Palácio de Gaudí. Gente, o homem era doido de pedra! É tudo misturado, torres imensas, tijolos aparentes, pedras, vidro, mosaicos... entradas meio que secretas... foi fantástico descobrir cada recanto, cada cor que refletia quando o sol incidia sobre os murais... perdemo-nos naquele mundo encantado. Pena que é proibido fotografar seu interior...

Cidade romana sob Astorga - ruínas

Depois fomos para as muralhas, as escavações da antiga cidade romana, fotografamos... e quando chegamos à Catedral Santa Maria, estava acontecendo uma exposição de arte sacra “Las Edades Del Hombre” que reunia peças e artefatos abrangendo todos os séculos desta era e alguns da era passada, porém, pela hora, já não podíamos mais entrar. Foi uma frustração!

Catedral Santa Maria

Encontramos vários amigos, inclusive a Maria, de Brasília, e a Ingrid, alemã, que também não conseguiram entrar.
Retornamos ao albergue e encontramos mais amigos... Soubemos pela Cris que a Gisela (argentina) havia caído na escada do albergue de Villar de Mazarife e que teve que ir de ônibus para Astorga em busca de ajuda médica, estava com a perna imobilizada e teria que interromper a caminhada por, pelo menos, uma semana... era hora de dizer adeus à Gisela! (mal sabia eu que voltaria a encontrá-la vivendo no México!)


Albergue de Astorga

O albergue parecia uma festa. Primeiro porque estávamos, em grande número, de já conhecidos – eu, Mauricio, Cris, Graça, Pedro Grandão, Maria, Rosa, Ângeles, Ingrid, Salvatore (italiano da terceira idade metido a galanteador, uma piada!), depois porque a banda da cidade estava ensaiando no prédio anexo ao albergue. Parecia que tocava para nós... daí o Salvatore tirou a Rosa para dançar e nós rimos bastante, pois ela bailava muito bem e não se furtou ao convite!
Conversando, descobrimos que tínhamos feito o inverso. A Cris tinha visto a exposição e nós o Palácio. Ela disse que estava linda, que não podíamos perder, etc e tal, daí decidimos que no dia seguinte a Cris seguiria com a Graça e nós ficaríamos para ver a exposição, já que a caminhada seguinte seria só (rs) de 20,6 km.
Fomos dormir sonhando com um lindo e quente sol... e não com os 8 graus daquele dia!

Detalhe da fachada da Catedral Santa Maria

17 comentários:

O Profeta disse...

Que maravilha...


Doce beijo

Kátia Campos disse...

Cativante. Creio ser esta a palavra certa pra definir seu blog.

A gente vem aqui, lê suas lembranças, faz o caminho com você e fica triste quando vemos que "acabou", ou seja, temos que esperar mais uns dias pra seguirmos em frente.

Demora não, tá?

Bj

meus instantes e momentos disse...

saudades de voltar aqui, saudades de te ver por lá.
Voce é meu Discovery channel com coração, com emoção.
Muito bom voltar aqui.
Beijos
maurizio

ex-controlador de tráfego aéreo disse...

Oi Kátia!

Tudo muito bem, mas quando sai a seqüência? Não dá para esperar muito não, hein.rs

A narrativa prende e instiga a querer mais, portanto, não maltrate os leitores, moça.rs

Um beijo com carinho!!!

VANUZA PANTALEÃO/OBRA LITERÁRIA disse...

Kátia, uma situação de EMERGÊNCIA:
A tragédia de Santa Catarina está mobilizando um bom grupo de blogueiros, Graças a Deus! Só estou pedindo aos Amigos que se Solidarizem e acrescentem aos seus posts ou façam novos, como quiserem, uma nota com PEDIDOS DE AJUDA A ESSES IRMÃOS QUE PERDERAM TUDO E, MUITOS, ATÉ A PRÓPRIA VIDA. A Miriam, "Essência Pura"
que reside lá, está me mantendo informada e me enviou um link onde mostra a REAL SITUAÇÃO DE CALAMIDADE DO ESTADO. Já vou, querida, tenho que visitar outros blogs!
SANTA CATARINA E O BRASIL CONTA CONOSCO!!!Bjs
Desculpe-me, não vou poder te comentar hoje, voltarei!

Dauri Batisti disse...

Astorga, mais um capítulo, mais um passo. A gente vai junto.
Um bom albergue faz bem, descansa e cruza caminhos de peregrinos.

Um beijo.

Gabi disse...

Ficou faltando... vc foi à exposição?? Não lembro... quando tô longe dá vontade de ler até a última "página" de uma vez, não tem vc do lado pra falar as cenas dos próximos capítulos... rs
Beijos grão!

Eduardo Miguel disse...

- Oi Kátia passo por aqui como quem vai embarcar para a terra de meus pais, aqui ao ler suas narrativas sinto que só vou me compreender melhor quando para lá for, preciso conhecer nomes que todos ligam ao meu trabalho, falam de Gaudí e Dalí entre outros...
só sei que quero e sei que é algo dentro de mim que pede isto, vai ver que está no sangue e na intuição quem sabe???
- Bom Kátia no fim queria lhe dizer apenas que curto passar e ler suas narrativas como uma novela aos capítulos, grande abraço...

VANUZA PANTALEÃO/OBRA LITERÁRIA disse...

Ufa! Tudo bem em Santa, Graças a Deus! Um povo aguerrido, esses catarinenses!
Mais um relato sem igual, Kátia, és uma Mestra nessa árdua tarefa de passar emoções para os leitores.
"Fora da caridade, não há salvação". Kardec, discípulo e herdeiro de Pestalozi nos deixou com o Espiritismo uma Obra que, com certeza, ainda não foi, nem será superada. Um tipré extraordinário:
1-Religião
2-Filosofia
3-Ciência
Beijosssss

VANUZA PANTALEÃO/OBRA LITERÁRIA disse...

Isso, Kátia, isso! É tudo Brasil, é tudo planeta terra...Aqui, em Nova Iguaçu, o bicho pega feio também; os rios levam todos os barraquinhos e quem está dentro e eu nunca me acostunei com isso, embora haja a tal história da "banalização da miséria e da violência", ainda sofro, choro e fico indignada. Mas agora, com esse bloguinho, sinto que "algo" posso fazer e vou lutando pra isso. Muitas barreiras que não são de lama terrena, mas de sujeira mental de gente que se julga inatingível, superior aos demais. Preconceitos e egoísmo, velhas barreiras em muitos corações empedernidos (ixi, agora falei difícil,rs)...Beijos nos Corações CAPIXABAS também!
Fique com Deus, Saúde, Amiga!!!

VANUZA PANTALEÃO/OBRA LITERÁRIA disse...

ERRO: ACOSTUMEI, perdão!

Pelos caminhos da vida. disse...

É amiga sabemos que em várias cidades do Brasil acontecem isso nessa época de chuva,uns menos outros mais que viram(calamidades. Sabemos tb que têm vários projetos para tentar melhorar e quem sabe evitar tudo isso,mas infelizmente ficam gavetados.
Será que depois dessa tragédia,algum órgão responsável,vai fazer alguma coisa?
Vamos esperar como sempre.

Obrigada pela sua visita amiga.

Um fim de semana de luz.

bjs.

Nadezhda disse...

Esses lugares (pelas fotos) são liundos. Queria conhecer pessoalmente. Principalmente pela História, que gosto bastante.

(Sempre que tenho que dormir em beliche, prefiro o último lugar. Dormir em baixo em dá aflição).

;)

Jardineiro de Plantão disse...

Continuo caminhando, e fico olhando estas fotos. Que bela prosa nos dá, que enfeitiça na leitura... O prazer é meu em continuar plantado frente a esta lindíssima janela e ver passar o filme deste belo guião.

Abraços

Quero estar com você disse...

Uma viagem interior, repleta de aventuras.
Deixo aos amigos uma simples prece de Natal, vou viajar para passar as Festas com minha família no interior do Estado do Rio, Miguel Pereira, conhece?
Feliz Natal, Kátia!

Loba disse...

Bom dia, Kátia!
Que delícia de texto! Me deixou encantada com o Caminho e um tanto invejosa.
Mas vi outras coisas no seu blog que tb me encantaram. Numa primeira visita a gente tem tantas impressões que é dificil comentar, né? Sei que é bom demais te descobrir e agradeço à querida Jacinta!
Mas hoje, meu grande motivo é te dar as boas vindas ao grupo do AO e pedir que vc me mande um e-mail pra eu ter o seu. A partir de agora, estaremos intimamente ligadas! rs...
Se puder, mande hj ainda, tá? Começo hj a passar pra vcs as dicas do que vamso fazer!
Beijo grande!!!
ah... meu mail:
lobamulher@uol.com.br

Sergio disse...

..Agora, vou dá uam paradinha....vou ao banco..Mais tarde continuo...

Inclusive vou comprar uma agenda...a partir de hoje vou começar a semear a semente desse meu sonho...colocar lugares a visitar, o que fazer, o que levar...outras coisas so na hora vou decidir...tuas palavras me inspiraram e me deram mais força de continuar com ele..obrigado, Katia.