segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

DE ASTORGA A RABANAL DEL CAMINO


O PREÇO DE UMA EXPOSIÇÃO


Caminho Murias de Rechivaldo - Santa Catalina de Somoza


Acordamos e a esperança de que o frio iria embora ficou só na esperança mesmo... Não chovia mais, tinha até sol, mas só para enganar os trouxas, porque o vento frio parecia que entrava por entre qualquer frestinha de roupa, que nem desenho animado!
Enquanto tomávamos café e criávamos coragem para enfrentar a trilha, naquela friagem, eu e Mauricio decidimos que iríamos ficar e visitar a exposição. Já era umas nove e meia da manhã, a exposição abria às dez... daí a Cris foi na frente e nós ficamos.
Como prova, eis o ingresso que guardei com todo carinho!

Astorga - Exposição La Edade de Los Hombres

Valeu ter ficado, a exposição reunia obras de milênios, de toda parte do mundo, eu me perdi no meio de tanta coisa bonita, tanta história... foi fantástico!
Encontramos a Maria (de Brasília) e a Hayde (alemã) que também tinham decidido ficar.
Quando saímos já era mais de meio dia. Comemos alguma coisa e tomamos rumo...
O frio parecia que aumentava a cada passo que dávamos.
Passamos por Murias de Rechivaldo, Santa Catalina de Somoza e quando chegamos em El Ganso paramos em um bar famoso entre os peregrinos - Cowboy – e resolvemos tomar alguma coisa para espantar o frio. O termômetro marcava 4º negativos, mas a sensação térmica era de uns 10º. Não lembro se tomei conhaque ou whisky, só sei que se estivesse aqui juro que tomava cachaça! (depois a Cris nos contou que entrou no mesmo bar e o cara estava com tanta preguiça que não quis atendê-la e indicou outro lugar para ela ir...)


El Ganso - Bar "Cowboy"

A gente foi colocando todas as roupas que tínhamos, uma por cima da outra, até capa de chuva colocamos e nada do frio passar... acho que nunca senti tanto frio na vida. A única vantagem foi que meus pés ficaram congelados, daí eu não sentia tanto a dor das bolhas, que aumentava a cada dia.
À nossa frente tinha uma grande montanha com a parte de cima esbranquiçada... só passava na minha cabeça: Será que aquele é O Cebreiro? Terror dos peregrinos... só de pensar dava um frio na barriga.

Existe um Mauricio embaixo disto tudo, eu juro!

Chegamos a Rabanal Del Camino à tarde. Grande parte de nossos amigos haviam chegado mais cedo e o Orlando havia feito uma macarronada para todos e já haviam programado um grande jantar de confraternização e é claro que nossa amiga-irmã Cris não esqueceu de incluir-nos na lista.
Como chegamos tarde não havia mais lugar na casa principal do albergue, só haviam vagas no que antigamente havia sido um estábulo! Para mim tudo bem! Se Jesus nasceu numa gruta, eu, que não sou nada em comparação a ele, estábulo longe do vento frio me soou como hotel cinco estrelas.

Chegada a Rabanal... o almoço já havia acabado!

Arrumamos nossas coisas, tomamos banho e eu e Cris fomos ajudar a Ângeles a preparar o jantar: Salada mista, tortilla e salada de frutas de sobremesa... regado a vinho em garrafa pet! Estávamos arrumando tudo, tinha até flores na mesa, cortesia da nossa hospitaleira Célia, portuguesa, quando vieram avisar que a missa estava começando. Quase todos foram, mas eu optei em ficar...

Rosa e Ângeles - mais que mãe e filha... aprendi muito com elas

Quando voltaram já estávamos com a mesa posta!
Foi um dos momentos que trago guardado no coração, num lugarzinho muito especial!
Estávamos reunidos: eu, Cris, Mauricio, Ângeles, Rosa, Kelinda, Hayde, Jose Miguel, Orlando, Micheline, Odulia, Pedro Grandão, Jean e Graça.

Família Peregrina

Muito vinho! Muitos brindes! E enquanto comíamos íamos contando as coisas engraçadas que haviam acontecido com cada um durante a caminhada. Rimos bastante falando das “tentações”, das caronas oferecidas e encaradas por nós como testes à nossa perseverança, e então, Jean, francês, na faixa dos seus cinqüenta anos, que normalmente era caladão, contou que naquele dia havia caído e machucado a mão e o rosto, nisto parou um carro com duas jovens “lindíssimas”, na linguagem dele, e insistiam para que ele fosse com elas que elas cuidariam dele. Ele, fiel ao princípio do caminho, não aceitou o convite. Depois, durante o jantar, ficou se lamuriando: Quando na vida vai me aparecer outra oportunidade desta? Nunca! E se foi Santiago quem mandou e eu não ouvi? ... a cada reclamação era um coro de gargalhadas!

Orlando, Jose Miguel e Pedro Grandão, para sempre em meu coração

Fomos dormir felizes e leves (também, depois de tanto vinho!)
Foi o dia que mais me senti “em família” durante a jornada...
Vocês devem estar se perguntando o preço da exposição: pois eu vos digo... perdemos o almoço do Orlando, o estábulo tinha frestas e o vento fazia barulho que nem filme de terror! Foi alto o preço, mas valeu a pena.

Micheline, Hayde, Jean, Cris, Mauricio, Eu, Kelinda, Pedro - amigos além do tempo e da distância

19 comentários:

paula barros disse...

Oi, Kátia

São tantas lições que você tira e que quem ler tira das suas caminhadas. Quando queremos muito alog, pagamos preços, as vezes alto, mas o prazer sempre compensa.

Consegue passar bem os sentimentos, os momentos, as alegrias e as dores.

Caminhando contigo.

abraços

Jardineiro de Plantão disse...

Além dos sacrifícios, sabe bem a confraternização e o criar amigos para sempre... nos faz sentir bem mesmo que já só se traduzam em recordações.

Abraço

Grace Olsson disse...

oi Kátia, vim te visitar por que vc está no AO da LOba.
Eu naof aria mais esse Caminho. Mas a cehgada em Compostela foi algo místico que vvii na vida e nunca esquecerei.
O Caminho mudou meu viver, meu rumo, minha vida. eU FIQUEI MASI LEVE E DESAPEGADA DAS COISAS MATERIAIS.
SE NAO FOI E PUDER, DEPOIS VÁ À JERUSALÉM.VC VAI AMAR.
EU FIZ ESSE CAMINHO, DEPOIS FUI A LOURDES, FÁTIMA, JERUSALÉM E OUTROS LUGARES QUE ME LEVARAM A TRACAR A PESSOA QUE SOU HJ.BOA SORTE E DIAS FELIZES

Kátia Campos disse...

Sempre saio daqui com "algo a mais".

Saudade.

Bj

Mauricio disse...

Que momento!
Um cheirinho de lar com o aconchego da união.
Nesta altura, bem despidos de artifícios, sentimos a essência da felicidade, num momento simples e babilônico, enxergando o que ha dentro e não fora.
A Cruzada pessoal desmorona e o soldado rende suas armas.
Obrigado Katia
Obrigado Cristina
Obrigado a todos de boa vontade.

VANUZA PANTALEÃO/OBRA LITERÁRIA disse...

Kátia, minha Amiga!
Que confraternização...Juro que me lembrei da "Santa Ceia".
E o Natal chegando, que momento ideal para repensarmos nossas vidas, mas, desafortunadamante...Esquecemos.
Carinho grande, mas volto antes das Festas!Rssss

paula barros disse...

rsrsr já pensei até colocar a cortina sem bainha. Mas a idéia de chamar Mauricio adorei, além de ser curiosa em conhecê-lo, ele ainda (supomos) daria um jeito na cortina.

abraços minha querida, entendo o corre-corre.

Fernanda! disse...

Como não acreditar na existência de um Deus, se é ele que providencia tantos encontros abençoados na nossas vidas?

Acho q já falei mais vou repeti, tenho um carinho todo especial por vc, me sinto feliz e importante toda vez q vc me visita e deixa seu carinho.

Estou aqui na torcida por vc, sempre!

Beijos no coração com muita paz e luz!

Pelos caminhos da vida. disse...

Cada vez que visito aqui amiga,aprendo um pouco mais,vc é uma pessoa de luz.

Obrigada pela visita e,qto a VANUZA realmente ela é uma gde mulher.

Boa noite.

bjs.

mundo azul disse...

Devem nascer amizades muito ricas nessas aventuras, não?

Kátia, quando venho ler seus textos...Viajo com vocês! Que coisa mais boa...


Beijos de luz e o meu carinho muito especial!

Nadezhda disse...

Com a chuva deu uam refrescada, mas com o calor que anda fazendo aqui, agora eu queria um frio desse!

Que bom que aí o homem indicou outro lugar para ela, quando não queria atender. Já perdi a paciência algumas vezes por funcionários que não queriam trabalhar.

Os resultados só saem dias 15 e 17. Estou ansiosa, mas conformada também caso não dê dessa vez. Se não, é só tentar ano que vem de novo. Mas quando sair, aviso você.

Beijos ;)

ex-controlador de tráfego aéreo disse...

Oi Kátia!

De todas as suas postagens que li até agora, essa pareceu-me um encontro realmente com o propósito do caminho.

Parece que houve uma comunhão de pessoas, uma união de gente, se amando na alma e compartilhando suas vidas na mais perfeita harmonia. Momento raro na caminhada da nossa espécie.

Que suas memórias mantenham e divulguem isso a todos os cantos e pessoas, para que saibam que há esperança para quem caminha, mesmo quando a mensagem não é bem entendida, como desconfiou o Jean.

Continuo querendo mais, se vira por aí.rs

Um beijo com carinho!!!

Belle Rodrigues disse...

Que jornada!! Maravilhoso!!!
Mas, vou te falar... 10 graus para mim eh calor!!! Aqui na minha cidade, no Canada, chega a -30. Aiaiai, que loucura!!!
Obrigado pela visita no meu blog!! Seja sempre bem vinda!!!Eh humilde, porem feito com carinho!!

Super beijo

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Kátia:
Vá ao meu Blog Poemas e Canções, porque fiz um poema e o dediquei a você.
http://poemasscancoes.blogspot.com

Um beijo,
Renata

O Profeta disse...

E continuo a viajar contigo...


Este Mar que beija a Ilha
Traz de longe sonhos perdidos
Adormece na areia e deixa
Na espuma mil e um segredos

Meus sonhos são estrelas que semeio no espaço
São corpo nu que vagueia pela saudade
Brotam e correm para o Mar
Enfrentam a dor a tempestade


Boa semana


Mágico beijo

MARTHA THORMAN VON MADERS disse...

Que coisa boa entrar aqui e ver esta sua caminhada. É lindo quando apreciamos a arte de viver.
Um grande abraço

Eduardo Miguel disse...

- Como todo "bom" e bem humorado Espanhol meu pai costuma dizer que sarna com gosto não coça! e foi impossível não pensar nisto enquanto lia seus relatos, sei que não foi fácil más ví com bom humor suas experiências que tenho certeza foram muito ricas e que deixaram saudades, pois bem obrigado pelas palavras em sua última visita e se vier á Campos do Jordão ou for á São Paulo e quizer passar por aqui lhe ensino o que sei e que nem sabia que sabia, quem sabe não saia daqui uma transformadora de mãos cheias, minha esposa a Tina como á chamo faz uma torta de maçãs famosa entre os que nos conhecem e os que nos visitam, prometo que se decidir ajudo a preparar a tal torta e tenha certeza que sera bem tratada, grande abraço e pense no assunto...

Dry Neres disse...

É sempre doce passear por aqui! Fato! Te leio sempre.. mesmo que em silêncio de comentários.. gosto, gosto mesmo de tudo aqui!
Beeeijo, querida!

Sergio disse...

...que vontade de estar ali...deu ate fome..rs

Sei bem como é esse frio cortante...ja passei por isso..ou quase isso..nao há roupa que impeça..rs