domingo, 31 de agosto de 2008

RESPOSTAS E REFLEXÕES

Los Arcos - Igreja de Santa Maria

Hoje vou começar respondendo algumas “perguntas que não querem calar”, não é Tell e cia?

1 - Tudo aqui narrado fez parte do meu Caminho, do que passei, não é liberdade poética, embora em algumas ocasiões bem que eu gostaria que fosse!

2 – A Cris fala, literalmente, com todos os animais, e eles respondem, só não descobri ainda se ela compreende o que eles respondem, mas tenho uma séria intuição que sim!

3 – O romano me empurrou porque os romanos são sacanas mesmo! Vá a Roma e descobrirá que é verdade o que eu digo. Só não sabia, naquela época, que romano desencarnado também sacaneia... vai ver eu era cristã... e como não tem mais leão, resolveram me jogar pirambeira abaixo.

4 – O Mauricio não é coitadinho coisa nenhuma, tá! Está certo, adoro ele, mas ele vendia caro o uso do travesseiro e do creme, até cuecas e meias tive que lavar (e diz a Cris que lavo roupa pior que homem - rs)!

5 – Contrariando as normas, nós ficamos com peninha dele e jogamos fora a água de um cantil e levamos um pouquinho de vinho para ele... que perdeu mesmo o caminho da fonte... Mas foi castigo, ele já estava pensando em nos abandonar, por isso ficou para trás. Mas a Justiça Divina não falha! Ele chegou a Los Arcos antes da gente, quando chegamos já tinha até lavado roupa! (essa noite não teve como dormir de travesseiro – rs)
REFLEXÕES

Era 23 de maio de 2000. Foi neste dia, em Los Arcos, que eu parei para pensar sobre uma das lições do Caminho. Sobre a transitoriedade das pessoas em nossas vidas. Como disse, tenho algumas anotações que fiz nas beiras do guia, são palavras chaves e é só lê-las que tudo volta instantaneamente...
Quando eu fui para a Espanha, estava saindo de uma crise muito intensa, minha cabeça era um turbilhão só, eu precisava de um tempo para me reencontrar, para descobrir, depois de tudo que havia passado: perdas, escolhas, renúncias, doença, etc. o que havia sobrado da Kátia que eu conhecia. Se ainda existia, ou se era outra, e se era, precisava conhecer essa outra na qual havia me transformado. Se era melhor ou pior, ou apenas diferente...
Lembrei-me da minha filha, que no auge do meu sofrimento, da minha doença, me disse que nunca mais eu seria a mesma, pois se partisse iria incompleta, pois deixava minha família para trás, e se ficasse, não ficava inteira, pois abriria mão do meu sonho. Então, modificada para sempre estaria.
Pensando assim cheguei à conclusão, não sem sofrimento, que não podemos reter as pessoas em nosso Caminho a menos que elas queiram caminhar o mesmo caminho que nós, e nem sempre isso é possível ou fácil.
Quantas pessoas trilham juntos caminhos distintos!
Cada um tem o seu caminho e quando mais cedo aceitamos isso, menos sofremos. Um dos meus grandes erros, durante a vida, foi crer que poderia deter o tempo, detendo as pessoas na minha vida. Mas não tem como deter nada nem ninguém.
A vida passa rápido demais e as pessoas se vão rápido demais e acaba ficando, quando não se sabe lidar com isso (o meu caso) um vazio muito grande.
Não tem como preencher o vazio deixado pelas pessoas, eu precisava aprender a preencher meus vazios com o que existe dentro de mim, só assim aprenderia a viver mais feliz.
Parece que a dor é uma companheira constante e inseparável, e eu precisava aprender a viver sem ela. E naquele momento estava sendo muito difícil. Foi tanto tempo alimentando dores diversas que eu já não sabia mais viver sem elas.
Eu substituía minhas dores, do corpo e da alma, por outras e ficava a me perguntar se algum dia seria feliz por mim mesma.
Naquele momento só tinha questões, mas já tinha dado um grande passo, pois já conseguia enfrentar essas questões de frente.
A gente carrega as coisas tempo demais, sejam dores, amores não resolvidos, perdas, desafetos, raiva e acaba não sabendo viver sem elas.
Naquele momento eu tive consciência que precisava aprender, aos poucos, descartar o peso morto que carregava, no Caminho como na Vida.


26 comentários:

Paradoxos disse...

"Não tem como preencher o vazio deixado pelas pessoas, eu precisava aprender a preencher meus vazios com o que existe dentro de mim, só assim aprenderia a viver mais feliz"

ja vi que és um ser humano forte e de elevada coragem pra ultrapassar os obstaculos da vida!!

beijão em ti amiga!

Edu

O Seu Livre Arbítrio disse...

Olá, estava passando e gostei muito do seu blog, parabéns, visitarei mais vezes para comentar as postagens!

Muito interessante!

VANUZA PANTALEÃO/OBRA LITERÁRIA disse...

Kátia, querida!
Nada posso, nem devo acrescentar, só aprender e agradecer-lhe por nos proporcionar esse Livro Vivo que divide conosco. Mas, esses romanos, hein?Rssss.
E o Caminho continua...
Domingo de muitos AFETOS!!!

INCANTATUS disse...

TOUCHÉ!

Bj.

K.

(devo voltar aqui infinitas vzs até outro post...)

O Sibarita disse...

Rapaz que Kátia é essa meu Deus? kkk

Dona moça ta muito porreta o texto e significativo no aprendizado do caminhar!

bjs
O Sibarita

Nadezhda disse...

Em algumas postagens eu me identifico, mas nada além disso. Nessa eu percebi que se eu não tomar uma atitude agora, que ainda sou bem jovem, talvez eu não consiga mais morrer "incompleta" e não "ficar inteira".

;)

Gabi disse...

Mas essa sua filha fala bonito as vezes, hein?! rsss

Lu Barcelos disse...

Uau!

Aprender a preenchar o vazio é o mais difícil. Ainda preciso aprender muito....


E Gabi, tá se achando, hein!!!! Olha só! Só pq ela fala meia dúzia de palavras significativas que a gente leva pro resto da vida... ai, ai...

Bjo minhas Lindas!

Dry Neres disse...

É incrível como posso tocar a tua dor.. dentre tantos posts engraçados, dolorosos, sublimados.. esse foi o que mais me aproximou de você.. pq você se fez transparente, passível de leitura. A lição que você aprendeu, foi passada com amor para mim. Em tom confessional, vou te dizer que sou bem assim.. igualzinho a você, amiga. Não aprendi a largar as mãos dos que passam por minha vida e isso dói tanto.. a idéia de ver uma rosa num dia e no outro ela ter murchado, me dói profundamente a alma, o coração.. mas são essas coisas que nos engrandecem meu bem.. apesar de ser tão nova, tenho minhas dores e sei sentir as tuas como se fossem minhas.. nossas semelhanças e singularidades são muitas.. me identifico com você, com suas palavras e sensibilidade, que embora seja retratos escritos da maior viagem da tua vida, teu sonho.. sim.. têm muito de poesia.. e isso é sublime.. pq a poesia também retrata o real e eu delicio-me nisso..
Um forte abraço e um beijo doce pra você.

Sinceramente,
Drielly Neres.

Anderson Meireles disse...

Estou totalmente sem tempo nesses últimos dias, mas recebi uma indicação tão irresistível que larguei tudo para passar aqui.
E o que encontrei? Palavras de um ser humano em sua mais completa totalidade. Em tempos onde o homem busca ser um "super-homem", o que vejo de mais belo é um ser humano assumido.
Penso que a vontade de Deus para nós seja exatamente essa: Que sejamos nada mais que seres humanos,
Abraços!

Mauricio disse...

Muito, muito lindo.
Toca lá no fundo da alma.
Daqui não saio e niguem me tira.
Abraço de Urso.

Deusa Odoyá disse...

Olá minha doce amiga Katia.
Essa sua viagem , nos trouxe muitos ensinamentos.
Pois , realmente devemos fazer uma reflexão de como vivemos em constante ensinamentos.
a doce paz espiritual.
Amiga, não tente me entender, e sim me dê forças, para eu seguir em frente com desafios que terei que passar, perante uma grande perda no meu coração.
beijos e fique na doce paz do senhor deus.

Beijinhos amiga de sempre.

Regina Coeli.

paula barros disse...

Precisamos deixar os pesos mortos. Tantos. Temos que aprender a deixá-los nos caminho da vida. Para caminhar na vida de forma mais leve. Dito assim parece fácil, mas sei que você sabe que não é. Talvez, ou com certeza, estou escrevendo para mim mesma. Bom estar aqui.

Querida, vim nesse momento, especialmente dizer que gostei de lhe ver no blog do Jardineiro de Plantão. E saber que a palavra Ternura lhe levou até lá. Assim, sigo nessa vida virtual, tendo a certeza que podemos criar elos. Elos do bem, do carinho, da ternura, da admiração.
Fiquei feliz. Ia dizer que nem todos se arriscam a conhecer novos caminhos. Mas olha para quem eu ia dizer.
Você sabe andar por novos caminhos, desbravar caminhos, criar caminhos....você é o seu próprio caminho.

beijos na alma.

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Muito bonito esse processo, é como se fosse uma tomada de conscência e umdesabafo. Querida, peço que dê mais um pulinho no me Blog, pois fiz novo post. Não precisa ver tudo. Basta apertar a tecla "page Down" do computador e para onde quiser. Se quiser ver mais coisas, volt no dia seguinte, o post não vai sumir.
Um beijo,
Renata
wwwrenatacordeiro.blogspot.com

mundo azul disse...

Que maravilhosa reflexão, Katia!
Sim... A vida é transitória e impermanente... Está em constante movimento! Se tentarmos conservá-la estável, ela acabará nos machucando...

Aceitar, que nada dura para sempre, é aprender a rodar pela vida, sem muitos solavancos...

Contar com a presença das pessoas, para que nos preencham é como querer reter o vento nas mãos...
O que temos verdadeiramente, está dentro de nós...Uma fiel presença que, na maioria das vezes, não nos damos conta.

Beijos de luz e todo o meu carinho, querida amiga!

Karine Leão disse...

Kátia,

"Descartar o peso-morto no caminho e na vida..." é o que venho procurando fazer para me reconstruir enquanto pessoa e entender que a transitoriedade de pessoas na nossa vida é algo natural.

Adorei te ler, posso linkar?

Beijo Karinhoso,

Jussara Soares disse...

É isso. Um conselho da Gabi, uma reflexão sua e agora estou pensando sobre sobre vazios, dores e desapegos pelo caminho.
Belo texto!

Tell Aragão disse...

kátia,
eu sabia que vc não ia gostar muito da minha lista heheheh
adorei ter respostas hahahah
e quanto à reflexão... quando entedemos que precisamos mudar, aprender - e nos esofrçamos pra fazer isso - esse já é um grande passo, que nem todo mundo tem coragem de dar...

Karine Leão disse...

Passando para ver se tinha algo novo!

“Porque um jardim jamais está completo, até nos dias mais cinzentos, uma flor desponta para nos lembrar que uma nova estação repleta de cor e de aromas doces se avizinha. Mesmo quando o frio e a penumbra parecem ter vindo para ficar, o nosso jardim nunca dorme... e em breve, explodirá numa paleta de cores que quase nos faz desejar que permaneça assim para sempre, florido e exuberante. Talvez a maior lição que a Natureza nos ensina, é que a transformação é a única coisa que permanece.”

Jamais quero meu jardim completo, desejo sempre e cada vez mais a doce e mágica surpresa da transformação constante.


Meu Beijo Karinhoso,

Layla Lauar disse...

emocionei-me de verdade com seu texto..belíssimo... especialmetne este trecho "Parece que a dor é uma companheira constante e inseparável, e eu precisava aprender a viver sem ela." parecia ser minha faladno pela sua boca.. quando meu filhinho de 3 anos morreu de leucemia, por incrível que pareça, foi a a dor que me sustentou, só ela me lembrava que eu ainda estava viva... e que precisava continuar vivendo, apesar de doer..

sua sensibilidade ao escrever desperta emoções profundas, pelo menos em mim...

um beijo, que Deus lhe cuide!

instantes e momentos disse...

agradeço tuas visitas, e agradeço mais ainda a oportunidade de voltarao teu blog, sempre ótimo.
Maurizio

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Não sei se te chamei para apreciar o meu último post, mas se te chamei vc não foi. Faça como lhe falei "Page Down" e veja o que o Dudu Santos, artista plástico fez com os meus pezinhos.
Beijos, querida.
http://wwwrenatacordeiro.blogspot.com

Jardineiro de Plantão disse...

A falta que faz... o vazio criado... as feridas fecham... mas não saram completamente... aquele fiozinho de dor... por lá está sempre.

Que descarte esse peso no caminho e encontre salutarmente a vida.

Abraço

Jacinta Dantas disse...

Pois é amiga,
acredito na frase, que eu não me lembro de quem, que diz: "Caminhando se faz caminho" então, a gente caminha, com e apesar da dor.
Beijos

ROSA E OLIVIER disse...

"cada beso bautizado
crea nuevas primaveras
donde nace y donde muere
una Rosa verdadera."...!?...besos.

Sergio disse...

...Com erros e acertos ja aprendi muito...mas como falei tem sempre mais e mais um dia pra se aprender...sei que vou em busca de alegro que quero...mas que so terei certeza depois...

Por hoje, eu páro a leitura..amanha continuo...foi um prazer ficar essas ultimas horas aqui

beijo e boa noite...sao 0125h