terça-feira, 26 de agosto de 2008

ROMANOS! QUERO DISTÂNCIA!


Trilha Puente La reina - Mañeru



Vocês lembram quando eu narrei minha visita à Roma? Eu disse que não havia gostado, que havia sida maltratada, etc. (vide http://katiamultiplasfaces.blogspot.com/2007/10/impresses-de-viagem-iv.html). Eu não me lembrava, mas minha diferença com os romanos vem de outras encarnações, agora tenho certeza!
Mas vamos à história. Saímos de Puente La Reina ainda escuro, apesar de constar no guia que a trilha era fácil (uma botinha- rs) eram mais de 22 km., meu pé já tinha bolhas, o joelho doía, mas seguimos em frente.
Como eu havia estudado todas as cidades que passaríamos, sabia que haviam algumas com monumentos e igrejas bem interessantes e nós queríamos ver. Havia, também, neste trajeto, as ruínas da antiga calçada romana com sua ponte medieval, último vestígio da antiga Rota Imperial que se transformaria no Caminho como conhecemos hoje e que data do século X, aproximadamente.
Passamos por Mañeru, pequeno povoado que foi uma antiga estação de monges hospitaleiros e que ainda conserva vestígios de uma igreja gótica.
Passamos por um animal amarrado (não sei se burro, jumento, cavalo, santa ignorância!) e a “Santa Cristina de Assis” insistia em desamarrar o animal, o Mauricio brigava que ela não tinha que se meter e eu assistia... Ao final o Mauricio venceu.
Tudo corria bem até chegarmos à tal calçada.
A trilha vai afinando e só dá para passar uma pessoa. Lembro que a Cris foi à frente. É uma descida, tortuosa. Eu fiquei no meio. Quando comecei a descer, juro! Um romano me empurrou, eu despenquei de lá de cima, saí rolando trilha abaixo, e por mais que eu tentasse me segurar, não dava! Fui parar no final da descida. Que nem tartaruga de casco para baixo, com braços e pernas para cima. Só ouvia os gritos do Mauricio e da Cris: Não se mexa! Fique parada!
Como se eu pudesse mexer alguma coisa. Só os olhos, de dor!
O Mauricio voou morro abaixo.

Maldita Calçada Romana - A seta indica, mais ou menos, de onde eu despenquei e fui parar na última moita de capim!

A Cris gritava: quebrou? Quebrou?
Eu sabia lá se tinha quebrado! Eles começaram pelos meus pés.
Narrando hoje, dá vontade de rir só de lembrar a cena: Eu estatalada no chão, mochila nas costas, pernas pra cima, e eles, cada qual de um lado, tirando bota, examinando tornozelo, perna, tudo sujo de terra, ralado, sangrando... e eu chorando.
Eis que do nada me aparece o “Bom Samaritano! Um homem muito estranho, branquelo, lembro que ele tinha pelos nas orelhas (rs), não falava uma palavra que compreendêssemos e vice-versa, mas tirou de sua mochila um frasco com solução de arnica e, com maior cuidado, limpou minhas feridas, examinou, despediu e se foi... nunca mais o vi.
Resumo, não quebrei nada, mas daí estraguei o outro joelho, as duas pernas, o tornozelo, o cotovelo, tudo escalavrado...

Cirauqui- Lorca - Ponte Medieval (dos Romanos!)

Tínhamos acabado de sair de Cirauqui, que em euskera quer dizer ninho de víboras, para mim é ninho de víboras romanas, ainda faltava Lorca e Villatuerta, num trecho mal sinalizado e que passava pela estrada de asfalto...
Foi difícil chegar até Estella!

Gente! A Cris apareceu! Deixou a seguinte mensagem:

Oi pessoal! Eu sou Cris.É, essa mesma que a Kátia fala aí. Ela teve que vir aqui em casa pra me ensinar lidar com essa joça de computador...eu sou é zen. E eu queria tanto dizer que, se pra vcs está sendo bom, imaginem pra mim que vivi essa grande aventura junto com meus queridos amigos. É lindo ficar na frente do monitor chorando que nem babaca. Bjs

10 comentários:

Dauri Batisti disse...

Muito boa sua história. Essa de "um romano me empurrou" é ótima. hehehe.

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Voltou e voltou com tudo, para narrar mais peripécias que eu jamais farei na minha vida. Vc disse que pegou no meu pé no outro post, mas não se lembrou que já me havia mandado um comentário, viu sua boba!
Falando sério agora, querida, fiz novo post porque durante aquele tive dias horríveis. È longo e não precisa ser lido na íntegra. Vc presiona tecla "Page Down", que todo computador tem, e vai para onde quiser. Leia ou veja o que quiser. Se tiver interresse em mais coisas, o post está lá, basta voltar outra hora.
Um beijo,
Renata
wwwrenatacordeiro.blogspot.com
No final do post, no meu jardim cheio de rosas, pus uma casinha e um banquinho para as pessoas descansarem e depois irem ao meu castelo.

VANUZA PANTALEÃO/OBRA LITERÁRIA disse...

Bom dia, Kátia!
Você falou da gripe, né? Pois saiba que quase um mês depois de ter essa "bendita", ainda sinto seus efeitos?
Estava lendo aqui sobre esse "tombo" que te ensinou a Fraternidade na figura desse homem que te tratou e por fim, estás aqui, nos passando essa lição inesquecível de vida e de Fé...
Só faço um post por semana, amiga, o meu tempo é muito corrido e esse PC gosta de pregar peças. Mas tenho muito material, coisas que nem sei se um dia vou levar a público. O que fiz nesse foi aumentá-lo, em razão do desafio do Sérgio que queria "dez divas",rsss.Fiquei como louca, escolhendo foto de mulher um dia inteiro e a minha memória só ia encontrando mais e mais, pois ia lembrando das centenas de filmes que já vi...Na sexta vou postar novamente e virei avisá-la, OK?
Mas, fiquei curiosa com esse sonho, pode me contá-lo por e-mail, quando tiveres um tempinho?
Obrigada pela lembrança e por essa alma tão Pura e Generosa que tens!
Tarde de muita Paz!!!

Lu Barcelos disse...

Gente!
A Cris não tem preço!
Adorei o comentário! Mas, esses romanos, hein! hunf!


bjobjo

Anônimo disse...

Alem da arnica ocorreu uma imposição de mãos, fluindo o profundo desejo de sua recuperação.
O Bom Samaritano, sempre esteve ao seu lado.

João Videira Santos disse...

Uma crónica? Sendo ou não o relato duma viagem. Viajar, conhecer gentes e costumes é bom e alarga a nossa visão e o conhecimento do mundo.

Deusa Odoyá disse...

Olá minha doce amiga.

apesar dos atropelos da viagem, foi muito melhor , que eu fiquei em salvador e não conheci nada.
meu guia que vc. sabe nosso amigo, sumiuuuuuu, corró escondeu ele.
Bem passei as férias lá, mas o tempo não ajudou, pois tinha horas que fazia frio e tempo nublado.
praia, só se for no carnaval.
Da próxima vou viajar com vc. amiga desculpe mas deves estar muito cansada dessa sua aventura.

Beijos e obrigado por seus comentários no meu cantinho Um grande abraço e vamos esperar pelo final da festa do sibarita.

Beijos amiga, e fique na paz.

Regina Coeli.

Cadinho RoCo disse...

Ruim demais despencar por qualquer encosta. Em meio a uma caminhada, pior ainda. O susto parece que não passa e depois tudo sugere ameaça. Mas o bom é que se saiu bem no tombo e deu tudo certo até para chegar a esta publicação gostosa de se ler. Mas não pense que eu tenha me divertido com seu tombo. Antes, sofri com ele porquje já caí assim também.
Cadinho RoCo

Tell Aragão disse...

perguntas que não querem calar:

1 - santa ignorância também é uma opção de animal?

2 - a santa Cris de Assis queria soltar o bicho... mas, ela falava com ele?... digo, com o bicho? em que língua? fiquei curiosíssima...

3 - por que raios esse filho da P* desse romano te empurrou? acho que teria partido pra bater nele...

4 - fiquei morrendo de rir, visualizando a cena vc caída... não tem foto disso? se eu fosse o Maurício ou a Cris, juro que teria tirado uma foto... depois socorria..

bjs

Sergio disse...

..;;fsrsrrs...pegou o nome do romano?..rsrs

esse cara que apareceu me lembrou o filme Ben-Hur e Spartacus....quando Jesus aparece para eles num momento de sofrimento